Abismo

Trata-se de um redemoinho de energia no centro do Turbilhão Estelar que gira em velocidade estonteante.

Descrição


É de cor vermelha e cintilante em suas regiões periféricas e escurece progressivamente em direção ao seu centro, onde apresenta um tom de preto profundo. No entanto, o que se vê são apenas os efeitos ópticos secundários da energia penta e hexadimensional que se dissipa na sua beirada, tornando-se invisível aos olhos humanos. Se tivermos em mente que, com esse chamado Abismo, tem-se diante dos olhos o ponto de contato de uma ponte de energia que liga duas galáxias de tamanhos diferentes, pode-se tomar consciência de como é breve o intervalo de tempo de vida da Humanidade em comparação com os eventos cósmicos. Essa concentração hiperenergética se distingue por seu efeito transmissor. Ele está conectado com o Contra-Abismo.

História


Era usado pelos ploohns há muito tempo como meio de transporte para a movimentação de sua frota espacial. O transmissor do Abismo possuía uma determinada capacidade de transmissão o que se traduzia em seu alcance. Se uma massa apresentava dimensões especialmente grandes, ela era projetada para as regiões mais externas do setor esférico. O oposto do Abismo é o chamado Funil de Fissura. No ano 3460, a Terra e a Lua rematerializaram-se inesperadamente no Turbilhão perto do Abismo, depois de passar pelo transmissor solar Sol-Gêmeo. No ano 3581, a Terra e a Lua, junto com o sistema Medalhão inteiro, caíram no Abismo e foram irradiados para a galáxia Ganuhr.


 

Créditos: 

Fontes


  • P676, P684, P692, P693, P694, P749, P757, P770, P889.
  • Glossários: P698/699, P732/733, P758/759, P830/831, P849, P889.
Seção do Site: