Chamariz cósmico

O código chamariz cósmico foi o nome dado ao então cadete Julian Tifflor como parte de uma operação secreta.

Antecedentes


A atenção de Perry Rhodan foi atraída para Tifflor durante a ameaça do Supercrânio contra a Terra no ano de 1981. Ele estava com seu instrutor, o capitão Hawk, e outro cadete, Klaus Eberhardt, em um voo de treinamento com uma nave de treinamento no espaço. A nave de treinamento, o destroier de três homens Z-82, foi atacada por um agente do Supercrânio com um destroier roubado. O instrutor de Tifflor e Eberhardt morreu. Em vez de perder a coragem, Tifflor agiu com muita prudência, tornando o agente do Supercrânio e sua espaçonave inofensivos. Essa reação e as excelentes habilidades de voo de Tifflor impressionaram Rhodan, de modo que a partir de então ele ficou de olho no jovem.

História


No ano de 1982, Rhodan então ofereceu a Tifflor uma missão perigosa que ele executaria a serviço da Terceira Potência. Rhodan não deu a Tifflor mais informações detalhadas para não arriscar ainda mais a sua vida. Tifflor apenas soube que deveria estar transportando algum tipo de papel secreto. No entanto, esses papéis basicamente eram completamente inúteis e destinavam-se apenas a atrair o adversário desconhecido que estava tramando suas travessuras no Sistema Solar nessa época. Sob anestesia, os médicos terranos implantaram um dispositivo de localização especial em Tifflor, que veio do planeta Peregrino. Esse emitia vibrações telepáticas em um raio de dois anos-luz que um telepata poderia localizar e não podia ser detectado por meios técnicos convencionais.

O plano de Rhodan funcionou. O inimigo desconhecido se revelou e sequestrou a nave de treinamento da Academia Espacial de Terrânia, na qual Tifflor deveria fazer seu exame final. Descobriu-se que um mercador galáctico chamado Orlgans espionava o Sistema Solar. Esse saltador viu o monopólio comercial de seus semelhantes na Via Láctea ameaçado por Rhodan porque ele negociava com os ferrônios no sistema Vega.

O dispositivo de localização telepático foi útil quando Orlgans arrastou suas vítimas para o sistema estelar gêmeo Beta-Albireo por quase 300 anos-luz. Graças as capacidades dos mutantes terranos, a transição do saltador pôde ser seguida.

Mais tarde, Tifflor foi informado sobre o dispositivo de rastreamento por Rhodan. O transmissor foi reconstruído novamente antes do avanço para o aglomerado globular M-13. Ele podia então também transferir os pensamentos de Tifflor. Na luta contra os aras, os médicos galácticos, isso foi uma grande vantagem para Rhodan, que foi capaz de encerrar esse conflito com um mínimo de perdas.


 

Créditos: 

Fontes


Seção do Site: