Giuna Linh

Terrana. Ela é uma cosmologística.

Identidades de camuflagem


  • Cayca Ender.

História


Giuna trabalhava como consultora externa para os aconenses na estação de etapas de Anyaart, situada no sistema Afallach. Seu marido, Lanko Wor, havia sido preso pelos cairaneses. Ele tinha insultado e atacado um cairanês. Por causa disso, foi detido em uma via sem saída, uma estação orbital que serve de prisão dos cairaneses. Giuna tentou de tudo para libertar o marido, mas sem sucesso. Quando houve uma explosão grave em uma área mal protegida na estação do transmissor, o Consórcio Barnitense foi acusado desse ato de terrorismo. Os cairaneses iniciaram diálogos que deveriam esclarecer esse ataque, e o barnitense Kondayk-A1, um dos comerciantes mais bem-sucedidos, veio em nome desse povo. Então Giuna viu sua chance, pois conhecia a reputação desse ser. Ela ofereceu dois ativadores celulares esgotados dos gemenis, e eles fecharam negócio. Os aparelhos ainda existentes são vendidos por grandes quantias, embora não funcionem mais. Na verdade, Kondayk-A1 e seu suposto contador, o terrano Cyprian Okri, estavam interessados em Giuna por motivos muito diferentes. Eles são agentes do Serviço de Inteligência Ephelegon e estavam procurando alguém para seus propósitos. Giuna foi convencida por eles a participar de uma operação de resgate para seu marido. Através do centro de administração do gigante de gelo Pelorius, os três chegaram à via sem saída local. Giuna contatou os prisioneiros ali. Ela deveria incitá-los e, assim, causar uma revolta. Esse plano funcionou, e os agentes encontraram Lanko. Juntos, eles foram para a nave espacial de Kondayk, a Boa Fé. Então Lanko, que estava em coma, foi cuidado pelo ara Spand. No entanto, sem nenhum sucesso visível. Giuna odiava a inércia, mas tinha que ter cuidado, pois havia sido declarada ilegal pelos cairaneses. Ocorreu a ela que Lanko não acordava porque não estava mais exposto ao supressor vital; ele praticamente sofria de sintomas de abstinência. Para esclarecer essa questão, os agentes do SIE invadiram a via sem saída novamente com Giuna e o inconsciente Lanko. Quanto mais perto eles ficavam do supressor vital, melhor Lanko ficava. Quando Giuna e os agentes alcançaram o supressor vital, eles encontraram outro grupo em torno de Perry Rhodan. Pouco depois, Lanko Wor acordou do coma. Quando os cairaneses os descobriram, retiraram-se para a nave Bjo Breiskoll. De lá, Giuna voltou para a Boa Fé. Em 9 de outubro, ela ainda estava a bordo da Boa Fé, porque Spand ainda estava examinando Lanko. Eles chegaram ao habitat Gongolis três dias depois. O encontro entre Rhodan e Reginald Bell deveria acontecer ali. Em 7 de janeiro do ano 2046 NCG, Giuna acompanhou Atlan na Boa Fé em uma missão disfarçada de missão diplomática para o aglomerado estelar M-13. Em abril, Reginald Bell despachou Giuna e Lanko para a estação de etapas de Kesk-Kemi, situada no sistema Chrag-Odisz. O SIE havia recebido indicações de que os jogadores dos transmissores estavam planejando ataques à rede dos transmissores de etapas aconenses. No dia 12 de abril, durante a abertura cerimonial da estação, os piratas atacaram, massacraram a guarnição e fizeram alguns convidados importantes de reféns. Junto com as duas técnicas de transmissão Barbara Meekala e Rohonzori, Giuna e Lanko conseguiram libertar os reféns e depois fugir da estação com a Boa Fé. Os dois descobriram que os jogadores estavam trabalhando com os cairaneses.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR3000, PR3004, PR3010, PR3026, PR3056.
  • Glossário: PR3004.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Giuna Linh”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: