Instalação

Sistema de armamento ofensivo, um baluarte distribuído em três sistemas estelares, criado pelo cavaleiro das profundezas Armadan de Harpoon e seu mais importante povo auxiliar, os petronianos, há 1,2 milhão de anos para proteger a Via Láctea de uma nova invasão das Hordas de Garbesch depois de essas terem sido derrotadas por ele.

Descrição


A Instalação está localizada na zona periférica do centro da Via Láctea e foi construída nos sistemas estelares Ergyein, Margyein e Roggyein, situados próximos. Essa área foi escolhida deliberadamente pelo cavaleiro das profundezas porque o perigo de uma descoberta acidental era relativamente baixo devido às condições hiperfísicas existentes no local. A descoberta desse estabelecimento pelos povos da Via Láctea, portanto, foi apenas no contexto da crise dos orbitantes no ano 3587. A Instalação inclui 24 planetas que são distribuídos irregularmente entre os três sistemas estelares (a indicação dos planetas segue na ordem habitual):

  • a) Os planetas de Roggyein são: Karleppon, Woornar, Krudall, Martappon, Misoor, Huurgin;
  • b) Os planetas de Ergyein são: (nº 1), (nº 2), Durzuul, Varovaar, (nº 5), (nº 6), (nº 7), (nº 8), (nº 9), (nº 10) (nº 11);
  • c) Os planetas de Margyein são: (nº 1), (nº 2), Churuude, (nº 4), (nº 5), (nº 6), (nº 7).

Os três sóis formam um triângulo cujo lado mais curto mede 3,012 meses-luz e cujo lado mais longo mede 3,856 meses-luz. Martappon era de importância central para a Instalação, já que era a única maneira de acessar os sistemas de varredura (vide a frente), que era usado para controlar a produção de orbitantes. De acordo com a importância de Martappon, o comandante da frota de vigilância de Martappon também era o comandante supremo de toda a frota de naves-cunha. Para melhor calcular sua posição ao se reaproximar da Instalação, os cientistas dos orbitantes criaram pelo menos três faróis de hiper-rádio, que eram sóis estimulados a fornecer uma hiper-radiação especial. Desde a medição de sua posição e o conhecimento da localização da Instalação até os faróis de hiper-rádio, a posição da Instalação poderia ser calculada. Amtranik referiu-se aos faróis de hiper-rádio como Artha-070, Artha-080 e Artha-090, e ao setor com a Instalação de setor interno YEIN-VSF-11. Esses nomes ele havia tirado dos cavaleiros das profundezas. Pela colocação dos planetas perto do centro galáctico tornava impossível localizar as emissões de alta energia das instalações em larga escala, mesmo quando voando entre planetas. Além disso, projetores foram usados para esconder as instalações industriais e fingir para o espectador que eles estavam lidando com vegetação pura e topografia natural.

A produção de orbitantes

A função essencial da Instalação era a produção em massa de orbitantes, que deveriam conduzir as Hordas de Garbesch para fora da Via Láctea, como tripulação das espaçonaves-cunha armazenadas. Apesar de sua finalidade de ação como soldados e do senso de dever, que demonstravam nesse contexto, os orbitantes não eram guerreiros insensíveis, mas, ao contrário, abalados por um comportamento desumano, como mostravam, por exemplo, os flibusteiros. Os orbitantes, que tinham defeitos genéticos físicos e mentais, eram chamados de aurigeiros e colocados em setores isolados.

O sistema de varredura

Os sistemas de varredura de Martappon eram de grande importância para a Instalação, porque controlavam a produção de orbitantes; em particular, eles eram capazes de determinar a aparência externa e os traços de personalidade dos orbitantes. Amtranik aproveitou essa propriedade dos sistemas de varredura para produzir, através da Instalação, garbeschianos na forma de orbitantes. Devido à importância dos sistemas de varredura, esses eram protegidos contra interferências não autorizadas por vários mecanismos:

  • a) inicialmente, o acesso ao sistema de varredura exigia que a estrela variável Fizaal, que ficava nas imediações dos sistemas da Instalação, estivesse em fase de expansão;
  • b) para abrir o portão de acesso, um código de acesso tinha que ser inserido em um dispositivo de comando;
  • c) dentro do corredor adjacente, um segundo e terceiro código tinham que ser inseridos;
  • d) o terceiro código era usado ali para afugentar os sem-luz;
  • e) finalmente, no final de um poço, ocorreu uma transferência para um local secreto, que os orbitantes também não sabiam onde ele ficava. Devido à gravidade ligeiramente inferior, Amtranik supôs que essa estação de controle secreta do sistema de varredura não estava em Martappon. Além disso, havia a regra de que apenas duas pessoas podiam visitar a estação de controle ao mesmo tempo.

Na estação de controle, o sistema de varredura continha 24 unidades de controle em forma de cubo, cada uma com um comprimento de borda de cerca de 3 metros. Cada unidade de controle era atribuída a um dos planetas da Instalação e determinava a produção de orbitantes naquele local.

Os sistemas de armamento

As espaçonaves-cunha e os robôs cônicos.

Os robôs

Os robôs conhecidos eram os robôs cônicos.

História


A sua construção

A Instalação foi construída pelo cavaleiro das profundezas Armadan de Harpoon há 1,2 milhão de anos para proteger a Via Láctea de uma nova invasão das Hordas de Garbesch depois de essas terem sido derrotadas por ele. Os detalhes exatos da construção são desconhecidos, mas os meios para a sua implementação devem ter sido significativos. A Instalação foi programada para que, no caso do retorno das Hordas de Garbesch, membros individuais desses invasores fossem capturados, analisados e depois clonados bilhões de vezes sem o instinto da Horda. Era um psicotruque de Armadan de Harpoon que queria confundir os invasores se de repente eles tivessem que lutar contra seus clones.

A sua ativação no ano 3587

Depois de concluída, a Instalação descansou até o ano 3587. Naquele ano, ela foi despertada por um tremor espacial que foi interpretado erroneamente pela Instalação como um sinal do retorno dos garbeschianos. Piratas espaciais da organização dos flibusteiros capturados - todos habitantes humanoides da Via Láctea - foram mantidos por garbeschianos de acordo com o programa e clonados milhões de vezes. Esses clones recém-gerados e adequadamente condicionados foram distribuídos para centenas de milhares de espaçonaves em cunha que foram preservadas pelos petronianos na Instalação. Os orbitantes agora iam à guerra contra os habitantes da Via Láctea, as supostas Hordas de Garbesch. A falta de vestígios de novos combates, que inevitavelmente teriam de ser encontrados em uma invasão ocorrida, os orbitantes se dizem que a invasão já ocorrera há milhares de anos e que a Instalação havia sido ativada tarde demais. A partir disso, os atuais habitantes da Via Láctea eram os descendentes dos invasores que destruíram ou deslocaram os legítimos habitantes. O propósito original da Instalação, a defesa contra uma invasão renovada das Hordas de Garbesch, foi substituído pelo objetivo de expulsar os descendentes dos invasores da Via Láctea. Jen Salik, o descendente distante de um cavaleiro das profundezas, conseguiu atrasar ainda mais o primeiro ultimato dos orbitantes, fingindo que dentro das supostas Hordas de Garbesch existiam duas facções opostas que se opunham. Aqueles que se tornaram pacíficos e aqueles que ainda obedeciam ao seu instinto das Hordas. Durante essa ação de engodo, Jen Salik foi reconhecido como um cavaleiro das profundezas por Quiryleinen, o comandante das naves-cunha estacionadas sobre a Terra. Quiryleinen colocou-se sob o seu comando. O fim desse conflito parecia estar dentro do alcance.

No confronto com os garbeschianos reais

Infelizmente, em outro planeta, os mesmos erros foram cometidos na avaliação dos tremores espaciais, da mesma forma como na Instalação dos orbitantes. Ali, também, uma positrônica estava esperando para ver sinais do retorno das Hordas. No entanto, essa era uma instalação de Amtranik, um líder das Hordas dos garbeschianos do povo dos laboris. Quando na batalha contra Armadan de Harpoon tinha se revelado que as Hordas perderiam a luta, Amtranik, com a ajuda de sua nave capitânia, a Vazifar, criara habilmente essa instalação para esperar ali em sono profundo pelo retorno das Hordas. Ele dispensou sua tripulação sem assistência técnica na superfície do planeta, sabendo que a luta constante pela sobrevivência contra os animais desse planeta preservaria o instinto das Hordas. Despertado pelo sinal mal interpretado, Amtranik começou a transformar os descendentes dos primitivos laboris em uma tripulação viável para a Vazifar. O cruzador pesado terrano Harmos serviu como um alvo de treinamento, que havia sido forçado a pousar por meio das armas da aniquilação, atraído pelos impulsos da instalação. Apenas o aparecimento de outras espaçonaves forçou Amtranik a parar o exercício e partir imediatamente. No entanto, pesquisas anteriores de membros da tripulação capturados da Harmos trouxera uma notícia decepcionante. O retorno esperado das Hordas de Garbesch não havia ocorrido. A instalação havia se tornado errática. Imediatamente, Amtranik planejou uma missão audaciosa. Sabendo que os orbitantes estavam sem orientação, ele começou a se infiltrar na Instalação e a reprogramá-la para seu próprio propósito. Com antigos códigos roubados, ele conseguiu se passar como um enviado especial, o preservador dos códigos de Armadan de Harpoon e ganhar a confiança dos orbitantes comandantes. Ele fez com que, a partir de então, fossem gerados apenas orbitantes com o instinto das Hordas. Ele também conseguiu desviar mais de 20.000 espaçonaves-cunha para seus propósitos.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR936, PR937, PR938, PR950, PR952, PR962, PR970, PR971, PR972, PR975, PR976, PR984, PR985.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “ANLAGE”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2. Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan und Atlan Materiequelle (www.pr-materiequelle.de). Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan Sternenatlas der Milchstrasse (www.pr-sternenatlas.de/karten.htm).
Seção do Site: 
Glossarios Veiculados: