Kemoauc

Integrante do grupo dos sete Poderosos, e que esteve a serviço dos cosmocratas com a nave semeadora Hordun-Farban por milhões de anos.

Descrição Física


Seu corpo de dois metros de altura era completamente humanoide, musculoso e de beleza perfeita. Ele tinha um rosto de aparência nobre e escuro, com cabelos ondulados até os ombros. Os olhos negros profundos de Kemoauc, que às vezes pareciam brilhar, foram comparados com as fontes do tempo. Perry Rhodan, quando o viu, lembrou-se do Davi de Michelangelo.

Características Psicológicas


Kemoauc parecia sábio, digno e irradiava uma paz inabalável. Para os mortais comuns, seu carisma parecia quase irresistível. O que ele dizia em uma voz profunda e gentil parecia ter nascido de uma compreensão abrangente de grandes contextos cósmicos. Como seus colegas, ele possuía um castelo cósmico como uma morada. Como todos os sete Poderosos, ele estava preocupado com a questão de quem era e de onde vinha. Mas, ao contrário de todos os outros, ele não tentou se afastar dos cosmocratas e se esconder deles; pelo contrário, procurou um caminho para além das fontes de matéria para esclarecer essa questão.

  • Citação: “[...] Kemoauc estava determinado a desvendar o enigma de sua origem desconhecida, e, nisso, somente os cosmocratas poderiam auxiliá-lo. [...]”.

História


No passado distante

Como todos os sete Poderosos, Kemoauc despertou milhões de anos atrás em seu castelo cósmico, sem qualquer lembrança de um antes. No sentido de seu cargo, ele foi responsável pela disseminação da vida com a ajuda de sua nave semedora. Kemoauc procurou Kytoma para ser sucessora de Ganerc como guardiã do Enxame após a traição de Bardioc. Depois disso, Kemoauc selou seu castelo e manipulou o transdutor drugun para que os ovninautas não pudessem enviar o castelo em sua última jornada de volta aos cosmocratas. Ele provou sua inteligência superior: ele não só percebeu que o transdutor drugun estava escondido no castelo, como também encontrou todas as 20 mil peças e as reuniu corretamente. Kemoauc escondeu a sua chave auxiliar para o Olho de Laire no planeta Pousada de Gucky e escolheu o povo dos valugis como protetores de seu legado. Para isso, ele deixou aos valugis, a quem ele se chamava de Estremecedor do Universo, uma parte de sua técnica e, em seguida, escondeu todo o sistema estelar Trago por trás da barreira do espaço-tempo. Kemoauc também deixou uma mensagem no castelo cósmico de Ganerc. No ano 3585, Ganerc finalmente encontrou a mensagem de seu irmão, a qual lhe pedia para libertar Bardioc. No ano 3586, Kemoauc enviou a projeção de Kytoma até Ganerc no planeta Bardioc.

O regresso de Kemoauc

No ano 3587, quando seu castelo deveria ser enviado de volta para além das fontes de matéria pelos desmontadores, o transdutor drugun manipulado garantiu que o castelo pousasse no planeta Matazema. Ali, os dallazenos deveriam vir a bordo como um povo auxiliar. No entanto, isso foi impedido por Jagur, que acidentalmente desencadeou a autodestruição do castelo. Depois que a BASE conseguiu entrar no sistema estelar Trago, os terranos começaram uma busca em grande escala pelo Poderoso, mas não conseguiram encontrá-lo em lugar nenhum. Então seis naves semeadoras apareceram, lideradas pelo ovninauta Servus. Elas formaram um hexágono e ativaram uma espécie de função de transmissor. Em seu centro, uma figura ficou visível atrás de vários campos defensivos. Era Kemoauc. Ele estava preso no sorvedouro de matéria Jarmithara desde um tempo desconhecido. Várias tentativas de Atlan para libertar o Poderoso de sua prisão com uma corveta falharam. Perry Rhodan usou o Olho de Laire para alcançar Kemoauc na auréola. O Poderoso tomou-lhe o Olho e declarou a decisão de Laire de deixar o Olho a Rhodan, nula e sem efeito. Ele saltou com o terrano para o fragmento de mundo Schamballa dentro do sorvedouro de matéria, onde o deixou depois uma varredura verbal mútua respeitosa. Kemoauc acusou Rhodan prinpalmente pela libertação de Bardioc, mas Rhodan disse-lhe que não se arrependia de ter ajudado uma criatura que havia sido atormentada. Kemoauc saltou para a BASE para colocá-la sob o seu controle. Enquanto a tripulação estava completamente hipnotizada pelo seu carisma, ele foi recebido por Atlan e alguns outros oficiais de liderança com resistência. Atlan recusou-se a dar-lhe o comando da BASE sem saber nada sobre o destino de Rhodan. Kemoauc afirmou que Rhodan já estava na região além da fonte de matéria. Atlan não acreditou nele porque Rhodan não tinha enviado nenhuma mensagem, o que não era o seu estilo. Então ele queria esperar até que conseguisse. Dessa forma, as mãos de Kemoauc estavam amarradas por enquanto e Atlan havia conseguido algum tempo. Algum tempo depois, Atlan paralisou o Poderoso e tomou-lhe o Olho. No entanto, Kemoauc tinha manipulado esse para que só ele pudesse usá-lo. Portanto, Atlan deu ao Poderoso o comando da BASE por um curto período. Porém, depois de 24 horas descobriu-se que Kemoauc não podia controlá-lo por causa da manipulação da fonte de matéria e por isso ele devolveu o comando. Ele também prometeu tirar Rhodan do sorvedouro de matéria. Ali, no entanto, ele teve pela primeira vez um encontro memorável com uma projeção de um elefante no fragmento de mundo Caco durante a sua busca pelo terrano. Aquilo deu a ele a mais alta auto-compreensão de que Rhodan estava sob sua proteção e que não toleraria mais mal-entendidos. Kemoauc então trouxe tanto Rhodan como também o concepto duplo Ellert/Ashdon de volta para a BASE e devolveu o Olho para Rhodan.

No espaço além das fontes de matéria

Quando um misterioso impulso foi recebido d’além das fontes de matéria, Kemoauc e Laire pediram pelo Olho para que pudessem ir para as naves semeadoras. No entanto, uma vez que eles não explicaram seus motivos para Perry Rhodan e seus amigos, esse recusou a sua permissão. Portanto, Laire e Kemoauc logo depois roubaram o Olho e desapareceram. Eles acordaram Coringa, uma criatura de Kemoauc, e o levaram com eles para a Hordun-Farban. Eles tinham notado que Servus e seus androides não respondiam a uma ordem dos cosmocratas para providenciar as naves semeadoras para a evacuação da Via Láctea. Servus foi influenciado pela radiação residual de quanta on e noon e buscava pela autonomia. Kemoauc e Laire foram capturados por causa de uma pequena intriga de Coringa. A situação pôde ser resolvida com a ajuda dos terranos. Depois disso, Kemoauc ficou muito zangado com a traição dos ovninautas e a eterna desconfiança dos terranos, que lhe imputaram que estava tentando roubar as naves semeadoras e que teria gostado de destruí-las. Porém, Laire ajudou, de acordo com a ordem dos cosmocratas, a enviar as naves semeadoras para a Via Láctea. Posteriormente, Laire - também sob as ordens dos cosmocratas - queria resolver o problema dos loowers e ofereceu a Pankha-Skrin de levá-lo à fonte de matéria para fazer contato. O space-jet dos dois foi seguido por Rhodan e seu pessoal, e esses, por sua vez, foram seguidos por Kemoauc e Coringa. Kemoauc ordenou que Coringa segurasse os terranos no planeta Bilhar enquanto continuava tentando perseguir Laire. Essa tentativa fracassou e Kemoauc percebeu que a fonte de matéria não estava sujeita a nenhuma lei da natureza e, portanto, nunca poderia ser encontrada por meios científicos normais. Ele começou a voar em um curso aleatório e acabou encontrando uma fábrica dos cosmocratas. Pelo menos um robô de alta qualidade foi construído nessa estação. Em uma parte remota e fechada da fábrica, Kemoauc encontrou componentes biológicos e orgânicos, fazendo com que ele caísse em uma crise. Ele percebeu que provavelmente havia sido criado em tal fábrica e, portanto, era apenas uma criatura artificial. O pensamento de que ele e os outros Poderosos espalharam a vida real no Universo quase o fez perder a razão. Ele decidiu falar com o produto final da fábrica para descobrir mais sobre os cosmocratas e depois destruir a fábrica. Então, finalmente ele se encontrou com Samkar no centro da fábrica. Samkar não era um robô comum, mas um ser humano transformado no corpo de um robô - célula por célula. Mesmo para Kemoauc, a enorme dimensão desse processo era difícil de entender. Apenas os olhos estavam faltando. Como Kemoauc não conseguiu interromper o processo de produção, ele finalmente quis destruir Samkar e a fábrica. Ele atraiu Samkar para uma armadilha, mas não conseguiu atirar nele. Um simbionte que ele não conhecia até então o atrapalhava. Depois disso, Kemoauc desistiu. Ele estava completamente quebrado e até queria se matar. Samkar, em vez disso, ofereceu-lhe uma vida livre além das fontes de matéria. Uma vez do outro lado, o simbionte teria desaparecido, mas Kemoauc não poderia retornar mais. O Poderoso aceitou a oferta e em um instante foi levado para o outro lado por Samkar.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR850, PR860, PR884, PR895, PR900, PR944, PR947, PR48, PR957, PR964, PR965, PR966, PR967, PR977, PR978, PR979.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Kemoauc”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: