Swoon

Povo não humano da Via Láctea, uma raça inteligente não humanoide originária do mundo árido Swoofon, o segundo planeta do sistema estelar Swaft, distante 1.000 anos-luz do Sistema Solar. São excelentes micromecânicos e são conhecidos como os homens-pepino. Vivem sob a superfície de seu mundo.

Descrição Física e Fisiologia


Os swoons são seres de seis membros com 30 cm de altura. Possuem dois pezinhos e quatro braços, que terminam em mãos extremamente hábeis. Podem modificar à vontade a distância focal das lentes dos seus olhos, transformando seus órgãos de visão em microscópios de alta potência. Por isso, e também por causa de suas mãozinhas extremamente ágeis e o sentimento inato para coisas técnicas, eram inigualáveis como construtores de microaparelhos de elevada potência. Desde que a análise genética revelou menos mudanças genéticas entre os swoons e os fantanitas, que entre os fantanitas e os deuses-besta de Passá, parece muito improvável que seu tamanho reduzido seja devido a engenharia genética. Uma explicação mais provável é que os antepassados dos swoons tenham sido expostos aos mesmos efeitos que encolheram os colonos humanos de Siga.

O planeta

Uma característica muito interessante de Swoofon é de ser quase estéril de vida vegetal, contudo, possui um ambiente de oxigênio respirável. Considerando que isso é altamente improvável, até mesmo em uma escala cósmica, os cientistas arcônidas de antigamente estudaram o mundo, e ficaram convencidos de que deveria ter havido algum tipo de máquina para manter a atmosfera. Eles nunca acharam qualquer equipamento, mas descobriram que certas terras no planeta pareciam poder absorver gases e luz solar, e manter o equilíbrio atmosférico. Os arcônidas consideraram isso uma anormalidade química curiosa e os aras, convencidos de que isso não era de natureza biológica, também ignoraram isso. Porém, os swoons dependem muito dessa “curiosidade” para sua existência. Eles estudaram isso por séculos, e mantiveram os resultados em segredo até sua emigração para Marte. Uma vez em Marte, eles distribuíram toneladas dessa terra sobre sua nova cidade, reivindicando aspectos religiosos (o que era parcialmente verdade). Eles não revelaram por décadas sua descoberta, de que essas terras especiais eram, aparentemente, vivas, ainda por cima capazes de se reproduzir, apesar de totalmente inorgânica em natureza. Eles não têm nenhuma ideia se essa forma de vida é natural ou artificial, mas eles aplicaram alguns resultados obtidos da pesquisa desse material em sua tecnologia, lhes permitindo criar efeitos que nem a tecnologia terrana ou ferrônia alguma vez pôde duplicar. A maior parte dos cientistas terranos continuou considerando essa terra como uma curiosidade.

Swoons Conhecidos


  • Habrog, Markas, Oligo, Petid, Rent-Ho, Rulf-On, Waff.

História


Os swoons são um povo amante da paz. Não resta nenhuma informação de qualquer migração dos swoons para Swoofon. Se isso ocorreu, deve ter sido bem antes dos arcônidas descobrirem o seu planeta 14.000 anos atrás. Embora esses nem mesmo tenham notado as minúsculas criaturas durante quase 500 anos (os swoons construíram suas cidades no subterrâneo para conservar melhor a água), os swoons os notaram, e imitaram os edifícios que eles deixaram ao partir para monitorar Swoofon. Quando os arcônidas perceberam finalmente que os swoons eram inteligentes, eles descobriram o talento dos swoons para rapidamente projetar e construir dispositivos em escala microscópica. Por quase 3.000 anos o serviço secreto do Império isolou o sistema estelar Swaft do resto da Galáxia e usou quase toda a população dos swoons para construir dispositivos para eles. Eles foram especialmente úteis aos arcônidas durante a Guerra do Metano (contra os maahks). Depois dessa guerra, a existência dos swoons se tornou lentamente conhecida, e o Império diminuiu seu controle sobre esse mundo. Embora os swoons pudessem ter feito fortuna por si, o relaxamento do controle dos arcônidas significou que os saltadores se tornaram os vendedores primários de mercadorias feitas em Swoofon. Com o sistema de “parceria” usualmente empregado pelos saltadores, os swoons tiveram sorte de manter o seu planeta sem dívidas. Na realidade, várias vezes eles tiveram que recorrer à frota de Árcon (com quem ainda mantinham amplos e permanentes contratos) para evitar serem reduzidos a pouco mais que um mundo de escravos dos saltadores. O custo para os swoons era alto (arcônidas odeiam ter que defender não arcônidas contra arcônidas - nesse caso, seus descendentes, os saltadores - mas eles reconheciam a necessidade), mas eles permaneceram livres. No ano 2041, depois do surgimento do Império Solar, cerca de vinte mil swoons aceitaram ir morar em Terrânia. No ano 2112, esses emigrantes haviam se fixado em Marte. Depois do surgimento do Império Solar e a emigração secreta de mais de vinte mil swoons para Marte, os swoons puderam quebrar lentamente a influência dos saltadores. Os swoons guardaram capital suficiente para investir em dispositivos de controle de clima e estabilizar o ambiente de Swoofon, além de desenvolver novos mercados lucrativos. Eles começaram a investir em instalações de pesquisa, onde eles têm liberdade de desenvolver novas áreas de tecnologia de miniaturização. Embora a maior parte da Galáxia acreditasse que houvesse uma competição econômica feroz entre os swoons e os ferrônios, isso não é verdade. Embora haja algum mercado sobreposto, o mercado dos swoons é principalmente o Império de Árcon, enquanto o mercado dos ferrônios é principalmente o Império Solar. Poucos produtos são tão caros a ponto de justificar o transporte por 20.000 anos-luz, e até mesmo aqui as duas raças têm especializações que raramente se sobrepõem. Mais tarde, os siganeses entraram no campo da microtecnologia, desbancando esses dois povos. Nos primeiros dias da viagem espacial terrana, os saltadores eram seus parceiros de negócios. Os saltadores forneceram-lhes algumas informações falsas e animou os técnicos de microtecnologia, sinônimos para a construção de dispositivos militares utilizáveis. Isso só terminou quando os terranos sob Perry Rhodan conseguiram expulsar os saltadores e ganhar os swoons como amigos da Terra. No ano 2113, eles desenvolveram um gerador de vibração individual, com o qual foi possível simular os impulsos individuais dos laurins. Esses geradores, sintonizados com a frequência dos laurins, foram distribuídos no planeta Frago. Os pos-bis tiram suas naves da Galáxia. Rhodan os ajuda contra os “laurins”, os pos-bis recuaram para o espaço intergaláctico. Mais tarde, os siganeses desbancaram-nos como melhores microtécnicos da Galáxia. Em sua posição de microtécnicos imbatíveis, os swoons só foram ultrapassados pelos siganeses quando o tamanho do corpo desses diminuiu.

Créditos: 
  • Capa da edição alemã: Copyright © VPM – Pabel Moewig Verlag KG, Alemanha.

Fontes


  • PR61, PR63, PR129, PR138, PR827.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Swoon”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2. Informações extraídas em parte do site Crest-Datei (www.crest-datei.de). Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan und Atlan Materiequelle (www.pr-materiequelle.de).
Seção do Site: 
Glossarios Veiculados: