Balton Wyt

Mutante terrano, ex-livre-mercador/olimpiano. Como telecineta, ele era membro do Exército de Mutantes. Tinha uma prima chamada Harla Wyt, assim como um bisneto chamado Kimray Wyt.

Descrição Física


Ele tem 1,92 m e cabelo vermelho na altura dos ombros, que, durante a juventude, prendia em um rabo de cavalo

Característica Psicológica


Ele é descrito como “altamente talentoso, mas preguiçoso”.

História


Os Anos Iniciais

Balton Wyt nasceu em 16 de janeiro do ano 3078, na Terra. Ele é oriundo de uma família de comerciantes ricos que se instalou em Olimpo. Ele era armador de naves. Em algum momento desconhecido, Balton engravidou sua prima Harla Wyt. Desta ligação veio seu bisneto Kimray Wyt.

Exílio involuntário

Mais tarde, Wyt se tornou capitão da já um pouco enferma nave livre-mercadora Dolda (tripulação: dez homens), que foi usada principalmente para negócios mais ou menos legítimos. Durante um voo ilegal ao bloqueado planeta Imax-Neo no Eastside galáctico, em março do ano 3117, a tripulação foi infectada com uma epidemia pestilenta mortal desconhecida que se espalhou a bordo da nave. Balton Wyt se trancou na sua cabine de capitão e evitou o contágio. De lá, ele podia controlar a nave, sem precisar ir para a central de comando. Como único sobrevivente, ele realizou um pouso de emergência no planeta Techma, no qual a nave ficou irreparavelmente danificada. Wyt encontrou no planeta um enorme sistema robótico, mas abandonado, chamado Cidade, que tinha sido construído há 200.000 anos atrás pelos ganjásicos. Foi socorrido e mantido hibernado pelo complexo robotizado conhecido como Cidade. A Cidade manteve Wyt saudável. Ela o colocou em sono profundo e o acordava em intervalos irregulares, para que ele pudesse ajudar nos trabalhos de manutenção. Seu corpo se adaptou, durante este tempo, também à atmosfera mais fina do planeta. Durante as fases de sono profundo, a Cidade aumentava – sem o conhecimento de Wyt – sua capacidade telecinética até então despercebida. Durante 321 anos seu cérebro foi sendo manipulado e ao fim deste prazo havia se transformado num telecineta perfeito. Balton foi informado que um dos motivos de ter adquirido o novo dom fora a epidemia. Parte do cérebro fora afetada pela moléstia e sofrera um processo de mutação. A divisão médica da Cidade encarregara-se do resto, provocando uma mutação controlada do setor telecinético. Essa capacidade ele só podia utilizar conscientemente quando “acidentalmente” era trancado em uma sala e apenas podia deixá-la novamente por meio da telecinésia. Através dos ciclos de sono profundo longos e contínuos, Wyt sobreviveu 321 anos no planeta.

À Serviço da Humanidade

Quando, no ano 3437, um pedogoniômetro takerano foi construído em Techma, Balton Wyt enviou um pedido de socorro para a Frota Solar. Esta o encontrou e o resgatou antes da Cidade se destruir, junto com o planeta, através de um circuito de autodestruição. Ele tornou-se membro do Exército de Mutantes. Dessa forma pode ajudar os terranos a combater os takeranos que pretendiam invadir a Via Láctea no ano 3438. No ano 3440, foi incorporado ao Novo Exército de Mutantes. Na primavera do ano 3459, ele foi enviado por Galbraith Deighton contra os inspetores dos Hetos na Terra. Em novembro do mesmo ano, ele e Gucky participaram da ação contra Eymontop e ajudou o rato-castor no resgate da tripulação do DINO-55 EXP de uma emergência espacial. Ele recebeu, vinte anos depois, no ano 3460, o ativador celular que fora de Tako Kakuta. No ano 3540, desterrado da Terra; oficial especial da SOL. Durante a afilia, no ano 3540, ele seguiu para o exílio na SOL junto com outros imunes e participou da busca pela Via Láctea. Em fevereiro do ano 3581, no balão dakkardim, ele tomou parte da conquista da Amanhã, uma nave-túnel zgmahkonense. Em maio, ele ajudou a salvar Gucky e os doze especialistas da noite do planeta Kernoth. Depois de voltar à Via Láctea, no início do ano 3582, Balton Wyt era membro de uma pequena delegação que buscou contato com representantes da COPOG no planeta Irrf. Tentou-se persuadi-los a uma ação ofensiva contra o Concílio. Em 16 de novembro do ano 3583, na galáxia Ganuhr, uma equipe terrana, incluindo Wyt e Ras Tschubai, chegou a Baytuin. Em 18 de novembro, Wyt e Tschubai descobriram os sem-gravitação. Em 14 de setembro do ano 3586, na galáxia Tschuschik, após oito dias de preparação, a tropa de choque de Rhodan disfarçada como suskohnes irrompeu com a 1-Daeron no sistema Torgnisch; os membros principais da tropa eram, além de Wyt, Perry Rhodan, Atlan, Augusto, Reginald Bell, Walik Kauk, Mentro Kosum, Fellmer Lloyd, Alaska Saedelaere e Kershyll Vanne. A bordo da Pan-Thau-Ra, Morgdaehn forneceu-lhes ao suskohne Fairbahr, que os trouxe para Laxau. Fairbahr morreu. No ano 3587, ele acompanhou o voo da BASE na sua busca pelos castelos cósmicos.

Após a Absorção por Aquilo

No final de setembro do ano 3587, ele com outros mutantes foram absorvidos por Aquilo. Em uma carta de despedida, ele agradeceu por seu tempo juntos e pediu que Irmina Kotschistowa recebesse seu ativador celular. Este desejo foi concedido.


Créditos: 

Fontes


  • PR467, PR468, PR477, PR478, PR497, PR541, PR542, PR549, PR554, PR652, PR669, PR670, PR700, PR717, PR731, PR745, PR746, PR760, PR765, PR818, PR887, PR889, PR917, PR929, PR931, PR947, PR968, PR977.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Balton Wyt”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2. Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan und Atlan Materiequelle (www.pr-materiequelle.de).
Seção do Site: