Betty Toufry

Mutante terrana. Ela era membro do antigo Exército de Mutantes secreto e uma portadora de ativador celular.

Descrição Física


Embora o processo de envelhecimento de Betty Toufry tivesse sido interrompido aos 30 anos, ela parecia uma jovem de 17 ou 18 anos.

Características Psicológicas


Ela era considerada um pouco tímida e reservada.

Paracapacidades


Betty tinha os dons da telepatia e telecinésia. Ela era uma excelente telepata, deixando até Gucky admirado.

História


Sua Adolescência

Ela nasceu em 2 de fevereiro do ano de 1966 em Mesilla, Novo México. Sua mãe morreu no parto. Seu pai é Allan G. Toufry, um conhecido pesquisador atômico. Em 16 de fevereiro do ano de 1972, Betty ficou horrorizada ao encontrar um DI no corpo de seu pai. Acabou atirando nele inconscientemente. A atenção de Perry Rhodan foi despertada, no ano de 1972, quando uma reportagem de jornal informou que ela havia baleado e morto seu pai Allan G. Toufry, quando ele chegava em casa. Rhodan instruiu Ernst Ellert a visitar Betty Toufry no futuro, a fim de investigar as circunstâncias do assassinato.

Na Época da Terceira Potência

Ellert descobriu durante sua visita temporal em cinco anos no futuro, que desde os onze anos de idade Betty era uma mutante. Ela revelou-lhe por intermédio de telepatia que seu pai fora dominado por um deformador individual e este planejara para o dia seguinte àquele que o matara, incendiar os silos subterrâneos de bombas nucleares do Bloco Ocidental, e assim destruir o continente. Ela também era de opinião que os mutantes que estavam aparecendo eram os sucessores do homo sapiens. O homo superior seria o herdeiro do império galáctico. Contudo, a visão dela não se tornou realidade, possivelmente era apenas um sonho de desejo de Toufry. Por outro lado, outras previsões de Toufry se realizaram: a invasão dos deformadores individuais falhou. Ela fez também algumas declarações vagas sobre Ellert, em que ele sofreria um dia depois dessa visita, uma aparente morte física. Antes disso, ele ainda pode informar Rhodan sobre as forças telepáticas e telecinéticas da jovem, quando retornou ao seu tempo normal, o que causou um laço temporal autorrealizado. Depois de sua admissão no Exército de Mutantes, Betty Toufry seguiu, como todos os outros, a carreira de oficial. Ela foi recebida na família dos Manolis e foi criada lá quando não estava viajando com o Exército de Mutantes. Apesar da sua tenra idade de apenas 9 anos, ela foi considerada como mutante completa no ano de 1975 para o sistema estelar Vega, porque suas forças parapsíquicas eram mais fortes do que as de todos os outros mutantes e teve uma participação importante na solução da Charada Galáctica. No ano de 1981, ela foi designada para proteger Homer G. Adams, que se tinha de impedi-lo de realizar transações financeiras sem sentido sob a influência do supercrânio. No ano de 1984, ela era participante da expedição para o sistema estelar Árcon. No planeta Honur, ela adoeceu da peste de nonus e, como o resto dos infectados, foi colocada em uma hibernação artificial. Ela foi curada com o remédio que foi encontrado no planeta Aralon. No final do ano de 1984, ela estava ocupada, durante a batalha dos saltadores contra os tópsidas, em encontrar Topthor no sistema estelar Betelgeuse, que era o único que conhecia os dados de posição da Terra. Ela finalmente rastreou-o no planeta Aqua. Com a idade de 30 anos, o processo de envelhecimento de Betty Toufry foi interrompido através da aplicação de sua primeira ducha celular.

No Século XXI: Na Época do Império Solar

No ano 2040, apesar da sua idade avançada, mantinha uma aparência jovem, pois tinha recebido o benefício da ducha celular no planeta artificial Peregrino. Durante a ausência de John Marshall, ela exercia a chefia do Exército de Mutantes em Vênus. Era uma excelente telepata, deixando até Gucky admirado. No ano 2044, ela cunhou o termo “antimutantes” para os seguidores do culto de Baalol. Em uma data desconhecida, Toufry estava no planeta Velogra VII e lá conheceu um dos habitantes, que neutralizava naturalmente suas paracapacidades. Durante a ação em Árcon II para a recuperação do ativador celular de Atlan de Gonozal, que tinha sido roubado pelo sacerdote anti Segno Kaata, as paracapacidades dos mutantes falharam em um templo de Baalol, e Betty Toufry lembrou-se de sua experiência em Velogra, e criou o termo “antimutantes”, que foi encurtado por Perry Rhodan para “antis”.

No Século XXIV

No ano 2326, Betty recebeu um dos 25 ativadores celulares espalhados na Via Láctea pelo superser Aquilo, tornando-se relativamente imortal.

No Século XXV

Em julho do ano 2404, ela participou da expedição de Reginald Bell e Mory Rhodan-Abro em busca do planeta Bárcon, perdido no espaço vazio entre a Via Láctea e Andrômeda. Ela testemunhou como os barcônidas se sacrificaram e a seu planeta, para evitar um ataque insidioso dos senhores da galáxia à Via Láctea.

Durante a Segunda Crise de Geração

No ano 2909, Betty foi atingida pela chamada loucura-gen. Em 9 de março do ano 2909, ela juntamente com os outros sete, mais tarde chamados Antigos Mutantes, foram mortos por envenenamento na Segunda Crise de Geração. Ainda no mesmo dia, os mutantes receberam um sepultamento no espaço. Seu ativador celular permaneceu sem uso por séculos, até Perry Rhodan entregá-lo a Alaska Saedelaere.

No Século XXXV: Como Antiga Mutante

No ano 3444, sua consciência retornou do hiperespaço. Isso porque, na proximidade da morte, as consciências dos moribundos, tinham deslizado como para-bloco para o hiperespaço, onde permaneceram, até que no ano 3444 elas tiveram contato com o metal TEP no planeta Asporc. Após a invasão dos lares e o desaparecimento da Terra, ela foi evacuada em junho do ano 3460 para Gaia e colocou suas capacidades à disposição do Novo Império Einsteiniano (NIE).

No Século XXXVI: A luta contra os lares

Em agosto do ano 3580, o conteúdo de sua consciência foi transferido para o corpo do muci Ertyn Grammlond. Dessa forma, ela pode viajar para o Sistema Solar em companhia de Tako Kakuta e Wuriu Sengu, igualmente transferidos para corpos de mucis, a fim de procurar por Ronald Tekener. Depois de uma pequena odisseia, eles conseguiram encontrá-lo e voltaram com ele para Gaia. No ano 3582, ela foi enviada a bordo da Lyckola para uma missão a Taatlon, para inspecionar os mucis locais. Estes ficaram sabendo de seu dom telepático, e dirigiram um projetor de radiação modular para a Lyckola, Betty perdeu o controle da consciência de Tennyson Imps, corpo no qual ela estava alojada naquele momento. Os mucis tentaram expulsá-la definitivamente do corpo de Imps, porém, Betty foi salva previamente por Rhodan e alguns mutantes e irradiada por transmissor para a nave capitânia de Atlan, onde pode ser estabilizada com uma injeção TEP renovada novamente no corpo de Imps.

Em setembro do ano 3587, ela, finalmente, juntamente com os outros sete Antigos Mutantes, assim como outros mutantes do Novo Exército de Mutantes, incorporou-se a Aquilo.


 

Créditos: 
  • Capa da edição alemã: Copyright © VPM – Pabel Moewig Verlag KG, Alemanha.

Fontes


  • PR7, PR10, PR14, PR25, PR26, PR44, PR45, PR49, PR80, PR96, PR275, PR374, PR408, PR582, PR583, PR689, PR706, PR707, PR708, PR709, PR720, PR721, PR762, PR763, PR968.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Betty Toufry”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2. Informações extraídas em parte do site Crest-Datei (www.crest-datei.de). Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan und Atlan Materiequelle (www.pr-materiequelle.de).
Seção do Site: