Ducha celular

Processo tecnológico usado pelo superser Aquilo para a conservação das células. Assim era chamada a preservação da estrutura celular do corpo por uma carga hiperenergética dos átomos, que era realizada pelo fisiotron, um tipo de transmissor especial em uma cúpula, localizado no planeta artificial Peregrino. O único ser da Via Láctea que domina tal processo é o superser Aquilo.

Dados Gerais


A ducha celular proporcionava a imortalidade relativa por um período de 62 anos terranos exatos. Com isso, o envelhecimento de um ser vivo era interrompido durante esse período. Era um benefício maravilhoso que prolongava a vida. Antes da expiração desse intervalo de tempo, no entanto, uma nova ducha deve ser realizada, ou o processo de envelhecimento era acelerado novamente e o afetado morria de degeneração explosiva de células - caso a expectativa de vida natural já tivesse sido excedida - após 62 horas. Essa ducha celular renovadora apenas pode ser estendida dentro do prazo dos últimos três meses do período de sessenta e dois anos. Uma maior resistência da pessoa com ducha celular, especialmente contra venenos, ao contrário dos portadores de ativador celular, não é dada.

História


Arcônidas

Antes dos terranos, os arcônidas eram considerados como o povo preferido por Aquilo, o qual, no entanto, havia perdido a chance dada de 20 mil anos de formar uma área de poder intergaláctico. Por este motivo, Aquilo recusou a Crest e Thora de Zoltral uma ducha celular.

Terranos

Os terranos ficaram conhecendo a ducha celular em janeiro do ano de 1976. A ducha celular existia para os terranos apenas através do fisiotron em Peregrino, o planeta artificial de Aquilo, e foi concedida por Aquilo a partir do ano de 1976 a Perry Rhodan e companheiros selecionados por ele. Ali, o corpo é desmaterializado, as células individuais virtualmente preservadas e o corpo remontado. Aquilo permitiu a Rhodan selecionar uma ducha celular igualmente a cada um de seus colaboradores. Sua escolha inicialmente caiu somente em Reginald Bell.

2326

Durante vários séculos, Aquilo concedeu duchas celulares a Perry Rhodan e seus companheiros. Quando a superinteligência teve que fugir diante de um perigo no ano 2326, que mais tarde revelou-se como o aparecimento do Enxame, ela destruiu o planeta Peregrino e, portanto, o fisiotron - por isso, ela previamente dispersou 25 ativadores celulares na Via Láctea. Em março do ano 2326, o Imortal deixou de conceder a ducha celular, depois de 350 anos. Em compensação, espalhou 25 ativadores celulares pela Galáxia afora.

Nota: No episódio PR154, Perry Rhodan calculou que o Império Unido precisava de pelo menos 10 vezes tantos ativadores celulares, ou seja, 250, para suprir as pessoas mais importantes.


Créditos: 

Fontes


  • PR19, PR68, PR69, PR70, PR150, PR151, PR154, PR999, PR1000.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Zelldusche”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2. Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan und Atlan Materiequelle (www.pr-materiequelle.de).
Seção do Site: