Goran-Vran

Loower, que havia perdido a capacidade da enteléquia devido a um acidente. Por esse motivo, ele desempenhou um papel especial no estabelecimento de contato entre loowers e terranos no ano 3586.

Descrição Física


Como todos os loowers, ele tinha um corpo em forma de rim que é dividido ao meio por um fio de cartilagem. Sua cabeça consistia em uma protuberância semelhante a uma corcunda que continha todos os órgãos de sentidos. Caso contrário, ele parecia um loower normal.

Características Psicológicas


Antes de perder sua consciência profunda, Goran-Vran era um loower discreto, que, contudo, se destacou algumas vezes por sua vontade de trabalhar duro. Após o acidente, ele se sentiu estranho ao seu povo e expulso por esse.

História


Goran-Vran nasceu no planeta Alkyra II, situado na Via Láctea. Ali, ele entrou em contato com a entidade Díada, que quando jovem a considerava como a divindade do seu povo. Com o despertar de sua consciência profunda, ele reconheceu as verdadeiras conexões entre a Díada e os loowers. No ano 3586, Goran-Vran acompanhou o voo da nave Thamid para o Sistema Solar e a Díada foi levada pelos loowers como um meio de pressão contra os terranos. No entanto, ela realizou uma divisão celular durante o voo, que foi acompanhada por uma mutação que permitiu que a Díada penetrasse na consciência profunda dos loowers. Goran-Vran, na época o representante de Fanzan-Pran, um dos três subcomandantes de Hergo-Zovran, foi o único a notar esse desenvolvimento e detonou a cápsula de proa da Thamid, na qual a Díada estava hospedada na nave e assim a destruiu. Ele se viu como o salvador de seu povo, mas os outros loowers, sobretudo Hergo-Zovran, o líder da frota, viram suas ações contra os terranos enfraquecidas por essa ação. Pouco depois da chegada, durante a edificação subsequente do Complexo de Nove Torres em Marte, Goran-Vran foi utilizado na construção da torre. Ali, ele sofreu um grave acidente que lhe custou sua consciência profunda. Desse dia em diante, ele só pode pensar de forma monoide, assim como os terranos, em apenas um nível de consciência. Dessa forma, ele perdeu a possibilidade do pensamento enteléquico (o dom da enteléquia). Por esse motivo, em 2 de novembro do ano 3586, Goran-Vran foi enviado por Hergo-Zovran para os terranos como espião, na esperança de aprender mais sobre a mentalidade terrana do que era possível para um loower que pensa em dois níveis. De fato, após dificuldades iniciais, Goran-Vran conseguiu fazer com que os terranos e os loowers se entendessem. Quando os terranos ameaçaram com atos de guerra após o aparente sequestro da menina Baya Gheroel, os terranos o enviaram para o seu povo como negociador. Após uma inspeção mais minuciosa do sequestro, Goran-Vran descobriu que o mutante Boyt Margor havia sequestrado Baya Gheroel, de modo que a crise com os terranos foi atenuada. Como Baya Gheroel não estava disponível, Goran-Vran assumiu o papel dela de intermediário e liderou uma troca de informações muito mais intensa e positiva dessa vez. Para esse fim, uma delegação de cientistas se juntou a sua equipe. Quando os loowers deixaram o Sistema Solar, em maio do ano 3587, Goran-Vran voluntariamente ficou para trás porque se tornara um estranho para os loowers por causa de sua maneira não enteléquica de pensar e se sentia mais próximo dos terranos.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR890, PR892, PR902, PR911, PR928.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Goran-Vran”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: 
Glossarios Veiculados: