Missão Dino-55 EXP

Como Missão Dino-55 EXP foi designada a primeira ação do transmissor Sol-Gêmeo dentro do assim nomeado “Grande Plano”.

Participantes conhecidos


Tripulantes da Dino-55 EXP (todos voluntários)

  • Major Nara Malinowa (chefe da missão), dr. Kiran Bay (cientista-chefe), drª Helta Doren (química), Candorra Candis (operadora de rádio) e o tenente dr. Horácio Denver (nexialista).

Força de resgate e pessoal de terra

  • Gucky, Balton Wyt, Irmina Kotschistowa, Dalaimoc Rorvic, coronel Tronc Massat (comandante da nave Meinendorf) e o prof. Turboschweski (especialista em 5-D [equipe de terra]).

História


Quando os terranos finalmente foram capazes de repelir todas as tentativas de interferir com os restos das frotas de ataque de Leticron operando no Sistema Solar, a última fase da Operação Bebê Solar foi concluída com sucesso. Nos próximos dez a onze dias, tudo foi feito para estabilizar a estrela anã Duende em sua órbita ao redor do Sol. Em 19 de novembro do ano 3459, chegou a hora: Perry Rhodan ordenou o teste do transmissor solar recém-desenvolvido e entregou o comando do tênder de frotas experimental Dino-55 EXP para a major Nara Malinowa. A tarefa da tripulação de 15 pessoas era fazer voar o Dino-55 EXP diretamente para o sistema Arqui-Tritrans com a ajuda do transmissor Sol-Gêmeo e, assim, provar o funcionamento correto da rota de transporte recém-criada.

Às 20h30, o campo AAT ao redor do Sistema Solar foi desligado. Ao mesmo tempo, a Dino-55 EXP deveria cruzar o ponto de emissão do transmissor Sol-Gêmeo e ser transmitida. Em vez disso, a nave ficou transparente. O contato por rádio com a tripulação foi interrompido. O Administrador-Geal então ordenou a ativação do campo AAT, o que tornou a situação do Dino-55 EXP ainda pior: A nave começou a absorver energias do hiperespaço através de uma fenda no continuum espaço-tempo e rapidamente aumentar sua massa.

Gucky, que observou o voo de teste a bordo da estação Observer I, tentou alcançar a tripulação do tênder em um ousado salto de teleportação - mas a tentativa falhou. Pelo menos podia-se confirmar que a tripulação estava bem. Como a major Malinova pertencia ao círculo de amigos do rato-castor, Gucky pressionou por uma operação de resgate e desenvolveu o plano para ela: ele e vários outros mutantes (vide a seção “participantes conhecidos” acima) deveriam embarcar em uma nave e deixar o Sistema Solar através da eclusa temporal do campo AAT e penetrar por fora com uma nave CEV sequestrada dos lares na fenda que o Dino-55 EXP causou. Rhodan estava muito cético, mas concordou após alguma hesitação.

Gucky e três outros mutantes cruzaram para um cruzador, que logo deixou o Sistema Solar deslocado no tempo. Depois de um encontro com a nave Meinendorf, eles mudaram de nave novamente. O comandante do couraçado, o coronel Tronc Massat, conseguiu chegar perto do local do espaço que estava conectado à Dino-55 EXP através da elevação em forma de mangueira. Os mutantes capturaram uma das espaçonaves dos lares que investigava o fenômeno, voaram para a fenda com ela e chegaram ao hangar do tênder de frotas.

A tripulação da espaçonave CEV incluía dois cientistas: Baryl-Torn e Weyh-Toak. Com um estratagema, Gucky conseguiu obter dos lares a causa do fenômeno a bordo do Dino-55 EXP: a administração de hiperenergia do tênder não estava corretamente equilibrado no momento da transmissão. Um circuito de compensação correspondente poderia, portanto, evitar que a nave sucumbisse. Os cientistas terranos a bordo do tênder ligaram o conversor Kalup que, embora tenha ocorrido um breve contragolpe no tempo, a nave finalmente conseguiu retornar ao seu estado de energia normal. Além disso, o tênder normalizado então foi irradiado e chegou ao sistema Arqui-Tritrans.


 

Créditos: 

Fontes


Seção do Site: