Ribald Corello

Mutante terrano. Ele era mais conhecido como o supermutante. Já foi considerado o Inimigo Público N° 1. Esteve submetido a um embriobloqueio, colocado pelos aras e os antis logo que foi concebido, que o fazia odiar toda a Humanidade. Portador de ativador celular.

Descrição Física


Tinha uma aparência monstruosa num corpo infantil. O tamanho do corpo de Ribald Corello era de 1,29 m, grande parte do qual era representado por seu enorme crânio calvo com um diâmetro de 51 cm, enquanto os membros e o tronco tinham as dimensões aproximadas das de uma criança de dois anos de idade. Esse crânio de 51 cm de diâmetro formava um contraste violento com o resto do corpo, que com seus 78 cm de comprimento correspondia ao de uma criança humana de 1,5 ano a 2 anos. O rosto do tamanho da palma de uma mão humana ocupava apenas uma parte da cabeça, sendo dominado pelos dois olhos com cerca de oito centímetros de diâmetro (tremeluzindo num verde-claro), enquanto a boca, o nariz e as orelhas também possuíam as dimensões das de uma criança. Mas os olhos não eram grandes demais para o crânio gigantesco, embaixo de cuja pele nua marrom-avermelhada se destacava uma malha de veias azuladas. Como os músculos do pescoço eram muito fracos para sustentarem sozinho seu crânio gigante, na parte de trás de seu traje havia uma extensão retrátil que servia de encosto para a cabeça e que usava dez garras para manter a cabeça em pé. Seu sistema nervoso altamente desenvolvido e diferenciado lhe permitia controlar seu corpo fraco e infantil. Ele tinha uma voz estridente. Ele geralmente usava um traje dourado dotado de respiração ativa, feito de IPEV-Psikolon, um material produzido no planeta Trakarat que amplia até 9,7 vezes as suas paracapacidades, tendo a aparência de um macacão de recém-nascido. O ativador celular ficava preso a dois ilhoses incrustados na placa de peito do traje.

Características Psicológicas


Apesar das manipulações que sofreu, já como embrião (visando criar uma arma contra o Império Solar), nunca esteve sujeito ao controle por parte dos aras e antis. Seu caráter era moldado por exacerbado complexo de Édipo. Ele era irascível, egoísta, dominador e cruel. Após sua “cura” dos bloqueios introduzidos, Corello se tornou um auxiliar importante da Humanidade. Ele tinha extremo cuidado com seu débil corpo.

Paracapacidades


Ele era um multimutante, entre outras coisas, combinava em si as paracapacidades de telepatia, condução emocional (comparável à capacidade de um emocionauta), hipnossugestão, supercarregamento individual (da mesma forma como os sacerdotes baalols), telepsimasia e era um transferidor quintadim, isto é, possuía a capacidade de com suas energias mentais superiores criar campos esféricos orientados na quinta dimensão com 8 m de diâmetro no máximo. Esses campos da quinta dimensão apresentavam o efeito desmaterializador característico dos campos de transmissão. Era bem verdade que essa faculdade só podia ser usada com o alvo à vista. Com a capacidade telepsimática, ele podia transportar qualquer tipo de matéria diretamente para dentro de outro corpo, mesmo sem aparelho de recepção, tal qual podiam fazer antes os lendários transmissores fictícios do superser Aquilo. Era bem verdade que para isso precisava abranger o alvo opticamente, ou então criar uma concepção dele por meio dum contato individual através de radiações. As forças hipnossugestivas de Corello eram tão grandes que, em sua vizinhança imediata, até mesmo uma estabilização mental causava apenas uma imunidade temporária.

O Robô de Transporte de Corello


O robô de transporte é uma estrutura cônica feita de aço terconite compactado. Ele tem dois braços de ação e dois braços de armas. Na base do cone, o robô de transporte mede 1 metro. A parte da frente do robô de transporte de 2 metros de altura pode ser dobrada. Atrás dele se encontra um recesso do assento, que é adaptado exatamente às dimensões do corpo de Corello. Os 60 centímetros superiores do robô de transporte são ocupados por um capacete de pressão esférico e transparente. Dispositivos de suporte apoiam a cabeça do mutante. Como no santuário, a temperatura interna é mantida constante em 37 graus Celsius. O recesso do assento também é revestido com o material parecido com musgo. O robô tem capacidade voo e é dirigido por Corello através do controle SERT. O armamento ofensivo consiste em radiadores térmicos, desintegradores e canhões conversores.

HISTÓRIA


A história inicial

Ribald Corello nasceu em 5 de setembro do ano 2909, em um planeta dos antis desconhecido. É filho de Kitai Ishibashi e Gevoreny Tatstun. Corello era o resultado final do projeto “Supermutante” da organização subversiva Condos Vasac. Os antis, deformadores individuais e aras que planejavam a destruição do Império Solar, descobriram, por meio de testes genéticos que a união dos genes da garota anti Gevoreny Tatstun e do mutante terrano Kitai Ishibashi criaria um supermutante. Gevoreny seduziu Ishibashi e ficou grávida. Durante a Segunda Crise de Geração, ela recebeu o ativador celular tomado de John Marshall por Kitai Ishibashi e fugiu de Mimas. Já durante a gravidez, o embrião de Corello recebeu um bloqueio hipnótico para atuar apenas segundo os interesses dos antis. Seu desenvolvimento foi extremamente demorado (mais de 400 anos), o que explica a demora em aparecer no palco galáctico. No ano 2930, recebera o ativador celular que fora de John Marshall e que estava com sua mãe. Gevoreny inicialmente usava o ativador celular de John Marshall. Com 391 anos, ela entregou o ativador celular para Ribald Corello, a fim de protegê-lo dos antis. Naquele momento, o próprio Corello tinha quase 400 anos. O supermutante levou todo este tempo para crescer. Preservada em um tanque biológico, Gevoreny sobreviveu congelada. Corello mais tarde a levava consigo para seu santuário, em um caixão de vidro provavelmente construído pelos antis. Ele esperava ressuscitá-la um dia, quando obtivesse outro ativador celular. Sua mãe contava para ele sobre a viagem no tempo do agente da Segurança Solar Joaquim Manuel Cascal, que tentou em vão impedir o nascimento de Corello a mando de Perry Rhodan. O bloqueio de Ribald Corello foi ativado, apesar do ativador celular, e o supermutante se tornou inimigo do Império Solar. Mas ele agiu de forma independente, sem supervisão dos antis ou aras. Corello tinha várias visões de sua mãe, que o exortava a ser mais humano e a resistir às maquinações dos antis. Não está claro se as visões eram oriundas do subconsciente de Ribald Corello ou se elas eram um efeito parapsicológico sobre seu filho, apesar de sua preservação.

A primeira aparição

Nos anos após 3430, Corello se fez ouvir pela primeira vez, quando se tornou o pior inimigo da Humanidade. Ele ficava principalmente no seu santuário. Caso precisasse deixá-lo, tinha sempre à mão um robô de transporte individual. Seus objetivos eram a destruição da Humanidade e a conquista da Galáxia. Além disso, ele planejava reavivar sua mãe, cujo corpo ele preservava em seu santuário, e governar a Galáxia junto com ela. Durante os conflitos desencadeados, ele assassinou o mutante Ivã Ivanovitch Goratchim. No início do ano 3433, Corello assumiu o controle do culto de Baalol, impondo sua vontade ao Grande Baalol. Depois disso, Corello começou a subjugar os governantes dos planetas importantes do culto. Em 04 de janeiro do ano 3433, ele atacou o planeta Galaner. Ali Corello conseguiu em 14 de janeiro do ano 3433 pela primeira vez com sua capacidade de transferidor quintadim produzir 10 gramas de matéria psi. Ele precisou de dois anos para fazer isso. Ribald Corello fabricava matéria psi com sua capacidade e preparou o major Perricone Heublein para, assim, destruir o Sistema Solar. Ele as transplantou para o corpo do major Heublein capturado. No planeta Shishter, Corello sofreu pela primeira vez uma derrota pesada na luta contra o Império Solar. Quando ele foi exposto ao fragmento cappin de Alaska Saedelaere em 25 de janeiro do ano 3433, o supermutante apenas fugiu depois que Saedelaere acusou o supermutante em face de sua mãe de uma falha miserável. Depois de escapar de Shishter, Corello deixou sua nave capitânia à deriva através da Via Láctea por quase nove meses. Ele não deixou mais o seu santuário desde a fuga. Durante os meses de peregrinação, uma mudança peculiar ocorreu em sua mente (causada pela visão do fragmento cappin). Em seus sonhos, o multimutante foi repetidamente visitado pelos pais. Seu pai o acusou de usar seus poderes apenas para submissão violenta em vez de fazer o bem. A imagem de sua mãe também denunciou que Corello se posicionou contra a humanidade. Em 24 de novembro do ano 3433, os impulsos sextadim da base no planeta Last Hope despertaram Corello de seus sonhos. Seu ataque foi repelido. Mais uma vez teve que fugir em 28 de novembro do ano 3433, quando se viu exposto ao fragmento cappin de Saedelaere. Na época, ele devia sua vida apenas a uma ordem de Perry Rhodan. Descobriu-se que a visão de Saedelaere e os impulsos sextadim provocaram em Corello um grave choque parapsíquico. No planeta Gevônia, a condição mental de Corello estava ficando cada vez pior, a crise estava chegando ao seu pico. Ele neutralizou sua organização com ordens contraditórias (por exemplo, uma ordem de ataque é revogada logo em seguida). Cada vez mais, o subconsciente de Corello evocava visões de seus pais. As aparências mentais eram tão reais que sempre chocavam Corello. Ambos exigiam que o supermutante não se colocasse mais contra a humanidade. A personalidade de Corello estava prestes a se dividir. No final do ano 3433, Atlan chefiou um comando para capturá-lo em seu mundo. Em 05 de janeiro do ano 3434, ele foi exposto uma terceira vez ao fragmento cappin. Como resultado, sob os impulsos psíquicos de Corello, o fragmento destacou-se do rosto de Saedelaere e reapareceu no rosto de Gevoreny Tatstun. A visão da mãe brevemente reavivada foi demais para Corello. Ele superou o embriobloqueio, que quebrava a personalidade criada pelo programa ofensivo. No entanto, ele teve que assistir como Gevoreny Tatstun se desintegrou em poeira logo após o seu despertar. Então Corello perdeu a consciência. Um comando da Intersolar invadiu o Tapúrio, um edifício no centro da cidade Tapura, e prendeu Corello. Durante dias, o mutante esteve em coma, sofrendo de febre e fortes convulsões.

  • Nota: As convulsões só podem ser um resultado do choque psíquico, pois o ativador celular protege contra doenças.

Depois ele recebeu um tratamento que o libertou da influência do embriobloqueio. Depois disso, ele foi perdoado dos crimes anteriores por um tribunal de lei (ele não foi julgado culpado porque agiu sob influência). Daí para frente ele passou a trabalhar a favor da Humanidade, tornando-se um grande colaborador e benfeitor. Ajudou a estabilizar o sextagônio necessário para a construção do tastressonador-dakkar. Como resultado de uma doença devastadora, ele perdeu parte de seus poderes. Quando, no ano 3434, Corello estava prestes a matar Alaska Saedelaere, o fragmento cappin sentiu o fim se aproximando e deixou o rosto do terrano e se juntou a Gevoreny. Como resultado, ela acordou de seu sono profundo e informou Alaska Saedelaere e Ribald Corello sobre o bloqueio e o Programa Ofensivo. Depois de pegar seu filho pela última vez em seus braços e o consolá-lo, ela se desfez em poeira.

  • Nota: Provavelmente devido ao declínio celular explosivo derivado da perda de seu ativador celular.

Somente no final do ano 3434, ele conseguiu se livrar do bloqueio implantado pelos antis. Em uma ação judicial, foi reconhecido que Corello não podia ser culpado por seu comportamento passado e ele foi absolvido.

Os cappins e a ameaça de Gruelfin

Após sua “cura”, Corello se tornou um auxiliar importante da Humanidade. Quando o satélite da morte envolveu o Sol em um campo energético e interrompeu o fornecimento de energia ao campo AAT do Sistema Ghost, a zona de instabilidade caiu e ele forçou hipnossugestivamente uma nave do Império Dabrifa a pousar na Terra. Ele novamente produziu matéria psi e, assim, destruiu o campo energético. Com isso, o supermutante se desgastou tanto que os médicos lhe deram poucas chances de sobrevivência. O campo AAT foi reconstruído e o Sistema Solar desapareceu em seu esconderijo temporal. Apenas com sua ajuda foi possível recuperar o tastressonador-dakkar no planeta Last Hope e estabilizar o sextagônio produzido. Durante este processo de conversão, o ainda convalescente Corello se desgastou tanto que ele entrou em coma profundo. A luta contra o bloqueio anti, a contínua produção de matéria psi e os esforços para estabilizar o sextagônio cobraram seu preço. O completamente esgotado Corello foi transportado de volta para Mimas, onde chegou em 18 de fevereiro do ano 3434. Quando o Administrador-Geral visitou o mutante em meados de junho do ano 3434 em Mimas, Corello estava a caminho da recuperação. Patulli Lokoshan esteve significativamente envolvido em sua recuperação. A pedido de Corello, Lokoshan foi nomeado seu cuidador pessoal. No início de julho do ano 3437, o supermutante foi licenciado da Paraclínica como curado. Porém, ele não recuperou sua antiga força. As forças psíquicas de Corello haviam mudado. Sua capacidade como telepata, ele só podia usar em um raio de 45 quilômetros. Na forma de um transmissor fictício, transferidor quintadim, ele só podia transportar um objeto com peso de até 750 gramas. A seu próprio pedido, o mutante não viajou para Gruelfin, mas ficou para trás no Sistema Solar. Em março do ano 3438, ele estava em Olimpo durante a invasão dos pedotransferidores takeranos. Ribald Corello colaborou na defesa contra os invasores sobre-humanos. Ele descobriu que quase não podia ser assumido devido às suas capacidades. A partir desse momento, ele foi escoltado por Balton Wyt e Lesska Lokoshan, este último servindo como guardião instintivo, cuja assunção era ainda mais complicada e estabilizou mentalmente Corello. Em julho, Corello chegou a Titã, onde procurou a companhia de Merceile, por quem era secretamente apaixonado. Quando os agentes takeranos comandados por Vascalo invadiram a estação pedogoniométrica local, Merceile foi influenciada sugestivamente por Corello e obrigada a fugir. Após Merceile destruir a estação, Corello e seus guarda-costas caçaram os invasores, até encontrar a pista de Vascalo. Ele colocou Vascalo continuamente em perigo, mas o cappin escapou usando uma nave fragmentária dos pos-bis.

A ameaça do Enxame

No ano 3437, Ribald Corello se tornou um dos membros do Novo Exército de Mutantes. Ele desempenhou um papel importante no avanço da Humanidade contra o Enxame, pois suas capacidades romperam por pouco tempo o campo flexível, o que permitiu a entrada da Good Hope II e da Marco Polo no Enxame.

A crise dos Antigos Mutantes

No ano 3444, ele fez parte do grupo que acompanhou Perry Rhodan a bordo da nave Timor até o planeta Asporc. Mais tarde, no mesmo ano, ele se tornou novamente inimigo ao ser assumido pelos oito Antigos Mutantes e, aparentemente, se voltou contra a Humanidade.

Na época do Concílio

Na primavera do ano 3459, ele foi usado por Galbraith Deighton contra os inspetores do Hetos na Terra. Em 5 de julho desse ano, ele salvou a equipe de cientistas em Mercúrio, que foi ameaçada pelas espiras. Em agosto desse ano, ele participou do voo da nave Cagliostro para o transmissor solar Arqui-Tritrans.

Na época da afilia

No ano 3540, os afílicos o exilaram da Terra para bordo da nave de longa distância SOL, junto com outros portadores de ativador celular. A SOL vagou por 38 anos através do espaço antes de encontrar uma pista da localização da Via Láctea. Em julho do ano 3578, Corello acompanhou uma expedição de sete cruzadores leves, sob o comando de Galbraith Deighton, para explorar a pequena galáxia Balayndagar. Mas ele não participou da ação e finalmente voltou com a expedição para o planeta Last Stop. Ele acompanhou Perry Rhodan no primeiro contato com os tbahrgs no planeta Xumanth. Após a recuperação do Comp ele teve de lutar contra os choolks, o povo auxiliar da Imperatriz de Therm. Ele temporariamente perdeu o controle de suas capacidades e seguiu para uma estação médica.

Na busca pelos castelos cósmicos

No ano 3587, ele acompanhou a BASE na sua busca pelos castelos cósmicos dos sete Poderosos.

A fusão com Aquilo

No ano 3587, ele juntamente com os oito Antigos Mutantes e outros membros do Novo Exército de Mutantes foram absorvidos por Aquilo, a fim de aumentar o potencial de consciências da superinteligência.


Créditos: 
  • Capas da edição alemã: Copyright © VPM – Pabel Moewig Verlag KG, Alemanha.
  • Capas da edição brasileira: Copyright © SSPG Editora – Star Sistemas e Projetos Gráficos Ltda., Brasil.

Fontes


  • PR404, PR408, PR409, PR411, PR416, PR417, PR431, PR432, PR433, PR434, PR435, PR445, PR450, PR478, PR497, PR503, PR505, PR523, PR533, PR534, PR535, PR543, PR546, PR549, PR552, PR554, PR556, PR561, PR566, PR567, PR569, PR571, PR582, PR652, PR662, PR667, PR700, PR711, PR773, PR774, PR796, PR808, PR934, PR968.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Ribald Corello”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2. Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan und Atlan Materiequelle (www.pr-materiequelle.de). Informações extraídas em parte do site Crest-Datei (www.crest-datei.de).
Seção do Site: