Tipa Riordan

Terrana/pirata. Ela era conhecida como a Dama Pirata, e era uma portadora de ativador celular. Era a lendária líder do grupo dos piratas cósmicos com 3.000 espaçonaves fortemente armadas durante a crise dos cappins no século XXXV. Sua nave capitânia era a Dreadful.

Descrição Física


Tinha pouco mais de metro e meio de altura. Mantinha-se curvada para frente, apoiando-se numa bengala. A sua boca desdentada não tinha nenhuma prótese, de modo que os lábios mais pareciam um corte estreito. O queixo saliente e o nariz adunco davam-lhe uma certe semelhança com um pássaro predador. Seus cabelos grisalhos, quase brancos, ela os mantinha enrolados num grande nó, exatamente no meio da cabeça.

Características Psicológicas


Tipa Riordan tinha as melhores conexões e informantes, incluindo excelentes contatos com os cientistas de Copérnico que lhe forneceram os últimos avanços tecnológicos do século XXXV. Com suas informações, ela repetidamente ajudou Perry Rhodan, a quem ela carinhosamente chamou de “seu filho”. Riordan era uma seguidora de uma humanidade unida. Portanto, ela lutava contra todos os grupos que não queriam saber sobre tal unidade. Sua cabine particular a bordo da nave capitânia Dreadful estava coberta de peles raras de animais. Numa mesa ao lado do confortável sofá havia um antigo lustre de bronze. Uma galeria de grandes flores de sangue chegava de um lado da entrada do closet, onde Tipa guardava seus tesouros favoritos. Ela raramente deixava sua nave capitânia. Tipa Riordan era rica e influente o suficiente para selecionar uma nova nave capitânia a cada três décadas. Ela ocasionalmente eletrocutava seu subordinado com a bengala para trabalhar mais rápido. Ela insistia, além disso, na saudação tradicional de seu grupo: bater o queixo três vezes com o punho cerrado.

Outras características

Tipa Riordan era uma figura que parecia ter um forte efeito polarizador em seus arredores. Uma avaliação neutra de seu caráter, portanto, parece difícil. Uma estranha relação de amor e ódio ligava Tipa ao arcônida Atlan de Gonozal, que a considerava por (citação) “[...] uma criminosa perigosa, a quem finalmente temos que cortar a carreira […]”. Ele também a descrevia como uma “velha víbora venenosa”, “cobra venenosa”, “bruxa”, “velha bruxa”, “bruxa venenosa”, “bruxa feia” ou “maracujá de gaveta”. O respeito de Atlan por ela estava no apelido de tia Tipa. Tipa Riordan, por sua vez, chamava Atlan de “terrano-presa”, “cheique de Árcon”, “cheique arcônida” ou "xeque arcônida". Quando o Lorde-Almirante visitou pela primeira vez a nave capitânia de Tipa, ela o colocou em uma cabine de guardados. Então ela disse em seus aposentos: (citação) »[...] Um dia ainda vou tirar o couro do cheique arcônida, para pendurá-lo aqui. [...]". Os encontros posteriores entre os dois contemporâneos sempre ocorreram em planetas desertos.

  • Nota da positrônica de bordo da Intersolar sobre o relacionamento do Lorde-Almirante Atlan e Tipa Riordan: (citação) »[...] O que se ama se provoca. [...] provérbio terrano. [...]". Rhodan, ao contrário dos dois brigões, deu uma sonora gargalhada com essa observação.

Reginald Bell também achava que Tipa tinha recebido permissão para muitas liberdades. No entanto, ela encontrou uma compreensão mais profunda com Alaska Saedelaere, que a considerava uma mulher notável. Perry Rhodan fazia concessões para a pirata, apesar das súplicas constantes de Atlan, porque ele a via como uma aliada fiel. Apesar da rudeza de Tipa em lidar com outras pessoas, Rhodan a recebia ocasionalmente como chefe de Estado. Mesmo antes de ela aparecer pela primeira vez na série, um prospector terrano disse que ela (citação) […] “não é tão ruim como dizem. [...]”. E Anson Argyris também é da opinião que (citação) “[...] é possível a gente dar-se muito bem com Tipa”. O primeiro vizir de Tipa, Kawa Dantroff, disse uma vez a sua empregadora que ela era (citação) “[…] tão bonita quanto uma ratazana morta. [...]”.

História


Ela nasceu no ano 2784, e, fora o período de ação, era uma mulher velha e misteriosa de origem desconhecida. No ano 2909, ela era uma velha senhora que possuía o ativador celular. Nessa época, ela já era uma médica controversa no campo da toxicologia. Ela parecia ter conexões com os misteriosos cientistas do planeta Copérnico, pois em seus contatos com os terranos ela continuava criando novas surpresas técnicas. Em troca de sua ajuda com a Segunda Crise de Geração, ela recebeu um ativador celular de Perry Rhodan, o qual fora do mutante Wuriu Sengu. Sua idade biológica era de 125 anos nesse momento. No rescaldo da Segunda Crise de Geração, ela montou sua organização de piratas, de modo que, no ano 3432, surgiu um agrupamento bem organizado, coeso e monitorado pela USO, que possuía cerca de 3.000 naves fortemente armadas - com o propósito de unir a Humanidade novamente.

Os ataques predatórios

Até o ano 3432, ao longo das últimas décadas, ela havia invadido e roubado com sucesso dezenas de depósitos do Império Dabrifa, da União Centro-Galáctica e da União Carsuálica, interferindo em seu destacamento de frotas.

A ameaça do supermutante

As falsas notícias da destruição do Sistema Solar e da morte de Rhodan foram um duro golpe para ela. Quando ela ouviu que Rhodan estava vivo, ela se jogou na frente de seu primeiro vizir Dantroff. Ela forneceu as primeiras pistas importantes para o supermutante Ribald Corello. Em troca, a USO não podia mais perturbar as atividades dos Piratas Livres. No ano 3433, Tipa Riordan e Atlan forçaram com um astuto Perry Rhodan, para mostrar a população da Via Láctea - na conferência de Esybon Herrihet. Mais tarde naquele ano, ela apareceu em Last Hope. Embora uma base secreta, ela estava muito bem informada sobre o que a pesquisa estava sendo feita lá. Ali ela entregou a Perry Rhodan as coordenadas do sistema natal de Corello.

Durante a onda de imbecilização

Durante a catástrofe do Enxame no início de novembro do ano 3441, ela informou aos imunes que a União Carsuálica voou para Olimpo com vinte grandes transportadores de tropas de pouso espacial ertrusianos.

A morte da pirata

Por volta do ano 3480, ela tinha um plano engenhoso para acabar com o domínio dos lares - com a ajuda de um ativador celular que, de acordo com suas informações, estava localizado no planeta Wardall. Ela queria dar esse para a liderança dos lares e, assim, desencadear uma guerra entre os ocupantes da Via Láctea. Ela morreu em 1º de dezembro desse ano, quando a Dreadful caiu em um vórtice gravitacional e, ao pousar em Wardall, despencou. Desse modo, ela foi arremessada contra um painel de controle e esmagada por seu navegador Herthigo Aden, que foi jogado contra ela. Em seguida, Aden tomou o seu ativador celular e no período subsequente governou como o ditador de Wardall. No ano 3582, Icho Tolot pôs fim ao reinado de terror e assumiu o ativador celular.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR404, PR408, PR419, PR432-PR434, PR514, PR764.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Tipa Riordan”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: 
Glossarios Veiculados: