Virna Marloy

Gaiana. Ela é a mãe do mutante Boyt Margor.

Caracterização


Virna Marloy tinha uma natureza simples e amigável, mas, ao mesmo tempo, era muito insegura e facilmente influenciável. Ela não era muito inteligente e não tinha outras capacidades especiais. Boyt Margor descrevia sua mãe como “uma criatura basicamente boba, desprovida de interesses, cuja veia romântica não podia ser considerada como um ponto positivo”.

História


Antes do Ano 3491

Os pais de Virna Marloy chegaram ao Punho de Provcon por volta do ano 3460 com uma das primeiras ondas de refugiados e estavam entre os fundadores de Sol-Town. Ela nasceu no ano 3470. No ano 3489, Virna Marloy iniciou sua atividade como assistente de transporte de refugiados no Punho de Provcon. No ano 3491, ela já havia acompanhado bons 20 transportes de refugiados, levando os quatro últimos com o cruzador leve Glusmeth, onde estava em contato amigável em particular com o primeiro-oficial Vic Lombard.

Harzel-Kold e o Nascimento de Boyt Margor

Durante um transporte de refugiados do planeta Pankrator para o Punho de Provcon, um encontro memorável entre Virna Marloy e o vincranês Harzel-Kold ocorreu no ano 3491. O vincranês, usado como piloto do vácuo, pediu a Virna Marloy para usar o seu manto quando ele chegou. Quando percebeu que ela ainda estava usando o manto durante uma interrupção de voo, ele disse a ela que ela tinha passado no teste e pediu para ela ser sua companheira. Depois de pensar sobre isso até o final do voo, Virna Marloy concordou e deixou a Glusmeth junto com Harzel-Kold. Mais tarde, Jennifer Thyron e Ronald Tekener descobriram que o desejo de uma companheira não surgira do próprio Harzel-Kold, mas fora despertado pelas psicopeças do laeandeiro Tezohr. Como Virna Marloy não teve contato com as psicopeças nessa época, pode-se presumir que, do lado dela, seu comportamento de amor “normal” tenha surgido. Virna Marloy foi conduzida por Harzel-Kold diretamente para o planeta Zwottertracht, onde seu amor foi posto à prova. O vincranês vivia sem contato com outros seres humanos, unicamente apoiado por alguns zwotters, solitário em sua fortaleza no meio da paisagem do deserto. A gaiana logo percebeu que, embora Harzel-Kold pudesse ser um homem bastante termo e sensível, no entanto, ele já estava completamente viciado nas psicopeças. Seu interesse primordial era apresentar sua companheira para as psicopeças e sua irradiação. O único confidente da gaiana nessa época era o zwotter Blinizzer. Depois de algumas semanas, Virna Marloy finalmente deixou Harzel-Kold, sem lhe dizer que já estava grávida dele. Pouco antes do nascimento da criança, Virna Marloy pediu ao piloto do vácuo Galinorg para levá-la para Zwottertracht. Tanto ela quanto também o hesitante vincranês tiveram a impressão de que foram influenciados em sua decisão pelo embrião. Em Zwottertracht, Virna Marloy se encontrou com Harzel-Kold, que havia se desgastado até os ossos, em meio a uma casa completamente abandonada. Ele tinha percebido, entrementes - pouco antes de sua morte -, que tinha sido apenas parte de um plano dos ancestrais dos zwotters, e pediu a Virna Marloy, depois do nascimento, que deixasse o planeta sem a criança. O nascimento foi uma experiência traumática para Virna Marloy - ela foi impingida pelos zwotters, de acordo com seus costumes, em uma pequena caverna onde ela teve que aguentar por semanas. Quando ela finalmente foi libertada, ela estava muito ansiosa para deixar o recém-nascido para os zwotters e voou de volta para Gaia.

A Criança Boyt Margor

Virna Marloy retomou o serviço como refugiada. Desde o ano 3493, ela viveu com Vic Lombard, que já havia experimentado um colapso mental pela perda de sua nave. No ano 3498, Galinorg trouxe a Virna Marloy um menino que ela imediatamente reconheceu como seu filho. Diante das autoridades, ela o deu como órfão da Via Láctea e o chamou de Boyt Margor. Nos anos seguintes, Virna Marloy tornou-se cada vez mais dependente de seu filho. Em contraste com Vic Lombard, ela estava em um “comprimento de onda” com Boyt Margor e, assim, tornou-se a primeira parainduzida, embora ele nunca tenha determinado seu comportamento de forma tão abrangente como foi o caso dos parainduzidos posteriores. Após a chegada de seu filho, Virna Marloy viveu ainda por mais seis anos. Enquanto seu filho mais tarde ainda parecia muito jovem, ela envelheceu excessivamente rápido. Margor sabia que, quando criança no útero, ele já havia roubado dela grande parte de sua força vital e ela, com isso, estava condenada à morte. Desse modo, Virna Marloy morreu no ano 3504 aos 34 anos de idade, como uma mulher idosa.


 

Créditos: 

Fontes


  • P855, P911, P940.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Virna Marloy”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: 
Glossarios Veiculados: