Whargor

Ser energético de origem desconhecida.

Dados Gerais


No início, ele era uma consciência incorpórea e foi chamado de “projeção de si mesmo”. Logo após o seu surgimento, a consciência recebeu um corpo energético que veio de contínuos de ordem superior. O corpo era visualmente perceptível como uma bolha energética azul e brilhante. O tamanho da bolha variava de doze a trinta e oito metros de diâmetro. No seu interior, podia ser vista uma sombra que parecia uma aranha enorme e gorda ou uma estrela do mar com oito braços ou mais e uma cabeça. Whargor era capaz de usar as forças das marés do Universo para se mover mais rápido do que a luz e se conectar mentalmente com outros seres vivos. O disparo de armas de radiação não lhe faz mal. Ele pode lançar os raios de armas de volta ao local de origem e gerar seus próprios raios de energia, que podem ser usados para vários fins.

História


Em um momento desconhecido, um fragmento do Império dos Vírus espalhado esbarrou em um planeta habitado por seres vivos de baixo nível de desenvolvimento. Através do contato com o fragmento, esse povo se desenvolveu rapidamente e logo estava à beira da perfeição. Os remanescentes do Império dos Vírus se espalharam ao longo do tempo, de modo que em algum momento ocorreu a queda da civilização. Em um ato final de força, algo ou alguém foi criado que continha partes daqueles cuja vida foi extinta em uma catástrofe não especificada. Essa entidade dormiu até que o pesquisador de vírus Quiupu criou uma reconstrução parcial do Império dos Vírus em setembro do ano 425 NCG na órbita do planeta Lokvorth. A reconstrução parcial deveria permitir a ressurreição do povo extinto. O desperto criou um ser energético, que ele chamou de Whargor. A princípio, Whargor não sabia nada sobre si mesmo ou sobre o povo extinto. Whargor recebeu a ordem de procurar a reconstrução parcial do Império dos Vírus. Ele alcançou o sistema Scarfaaru em 18 de setembro do ano 425 NCG. Ali, ele entrou em contato mental com Kirt Dorell-Ehkesh, que, com isso, sofreu um choque e caiu em transe. Quiupu percebeu a aproximação dessa ameaça e solicitou espaçonaves para defender a reconstrução parcial. Isso não podia deter Whargor mais do que Srimavo, que ajudou Quiupu. Quiupu disparou um desintegrador pesado em Whargor. O raio de energia foi refletido e perfurou a reconstrução parcial. Whargor absorveu alguns dos supervírus que vazaram, mas depois se retirou. Quiupu disse que a reconstrução parcial havia se desenvolvido ainda mais e estava se protegendo. Em 23 de setembro, vários OVNIs, bem como uma nave-mãe OVNI apareceram em Lokvorth e transferiram a reconstrução parcial para outro local. Depois disso, a estação de pesquisa em Lokvorth foi liberada. Whargor usou Kirt como porta-voz para se comunicar com Galbraith Deighton. Ele anunciou que sua missão havia falhado e que seria colocado na inexistência se voltasse para seu empregador. Para poder continuar a existir, ele teria que se conectar com um ser vivo. Então Kirt e sua namorada, Donna St. Laurent, se ofereceram para serem absorvidos por Whargor. Eles deixaram seus corpos para trás em Lokvorth e, como consciências puras, alcançaram a imortalidade com Whargor. Foi somente por meio do contato com os supervírus que Whargor conheceu a história do povo extinto.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR1080.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Whargor”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: 
Glossarios Veiculados: