Campo de formação de antimatéria para-abstrato construtivo positivo

Sistema de armamento ofensivo, abreviado para campo FAPCP. É uma arma de efeito devastador baseada na reação de antimatéria e de matéria normal.

Procedência


Os paramags, habitantes do sistema de destroços no sistema estelar Paramag Alfa, são capazes de criar os campos de formação de antimatéria para-abstrato construtivo positivo. Os campos FAPCP são sua arma mais forte.

Princípio de operação


Através de um campo FAPCP, qualquer parte da matéria normal e também formas de energia do universo normal podem ser convertidas em antimatéria ou anti-energia. Dispositivos ou campos energéticos (incluindo campos defensivos) parecem ser mais adequados como objetos-alvo que funcionam em uma base 5-D. Matéria com propriedades 5-D como hovalgônio, mas também campos paratron podem ser parcialmente convertidos por campo FAPCP em seu oposto. Após o contato de ambas as substâncias/formas de energia ocorre a destruição mútua espontânea. A liberação de grandes quantidades de energia pode causar danos secundários significativos.

Controle


Através de alguns Antigos Mutantes e Gucky pôde ser observado no ano 3444 paramags, que flutuavam em uma sala especial dentro de um fragmento de destroço de baixa gravidade. Eles pareciam estar em transe. No teto e no chão do salão havia camadas de campos de energia fracamente brilhantes e coloridas, que fluíam como nuvens de gás para os paramagos. Essas nuvens de gás brotavam dos veios de metal TEP nas paredes do salão. Os paramagos subiam e desciam e "teciam" em um processo contínuo a partir das pistas largas dos campos individuais, que por sua vez desapareciam em outras veias nas paredes, o que poderia ser interpretado como controle de armas, ou o direcionamento de objetivos. Nas diferentes nuvens, ocasionalmente, surgiam rostos de terranos a bordo das unidades de naves de Perry Rhodan, bem como fotos das próprias naves. Isso levou à conclusão de que os paramags foram capazes de capturar a consciência das tripulações da nave de maneira parical. Depois que Gucky perturbou os paramagos telecinéticos, os ataques às unidades terranas cessaram.

Medidas de proteção


O único efeito protetor conhecido é o uso de uma capa Maverick, que pode ser usada para revestir células de espaçonaves e também trajes espaciais. Como o inquelônio usado não tem equivalente de antimatéria, ele age em contato com a antimatéria de modo neutro e não reage. No entanto, como as porções 5-D de um campo paratron também podem ser invertidas, os campos defensivos devem ser desligados por segurança, uma vez que a capa Maverick só pode proteger contra o contato com a antimatéria.

História


Há quase 110.000 anos, o povo dos paramags desenvolveu a tecnologia para produzir antimatéria. Nos chamados campos de matéria nula, a antimatéria produzida podia ser armazenada sem causar danos. Através de uma guerra fratricida, o planeta natal dos paramags, Pordypor, foi destruído por armas de antimatéria e formou o conhecido sistema de destroços. Nas ações de combate posteriores contra as unidades terranas no sistema Paramag Alfa e no cinturão de asteroides do Sistema Solar foram utilizadas duas tecnologias diferentes: 1. O controle paramental de bombas de antimatéria, e 2. O controle paramental de campo FAPCP, que se dava sem quaisquer bombas e podia produzir antimatéria ou anti-energia contra o alvo, invertendo a polaridade da matéria e energia existentes. Se outras instalações técnicas eram necessárias para a produção do campo FAPCP ou os paramags propriamente podiam gerar esses campos por meio de suas paracapacidades, permanece sem resposta. Os cientistas terranos investigaram as circunstâncias da destruição de um total de 18 espaçonaves da Frota Solar no Sistema Solar e descreveram o modo de ação de campos de formação de antimatéria para-abstrato construtivo positivo pela primeira vez em 19 de julho do ano 3444. Através da ação das duas naves especiais Neomav e Pilbo, foi possível repelir os paramags que tinham penetrado no Sistema Solar. Mais uma vez, os campos FAPCP foram observados na destruição do tênder de frotas pesado Dino-386, por volta de 27/28 de julho do ano 3444, no Aglomerado Tolot.

  • Especulação: Existe a possibilidade de que os paramags tenham encontrado uma maneira de criar o campo FAPCP pelo desenvolvimento adicional de campos de matéria nula e, além disso, controlar a gestão desses campos usando suas paracapacidades.

 

Créditos: 

Fontes


  • PR592, PR593, PR594, PR595, PR596, PR597, PR598.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “paraabstraktes pluskonstruktives Antimaterie-Aufbaufeld”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: