Campo de matéria nula

Termo tecnológico. Campo de energia que é usado para isolar e para o armazenamento seguro de antimatéria, já que o campo não possui nem quanta de energia normal nem antimatéria.

Descrição


Os campos de matéria nula são energeticamente neutros, isto é, não contêm nem energia positiva nem negativa, nem permitem o contato entre matéria normal e antimatéria. Assim, eles são adequados para o armazenamento seguro de antimatéria, que de outra forma seria irradiada ao menor contato com energia normal ou matéria normal em energia pura.

História


Por um acidente de transmissor no ano 3444, o rato-castor Gucky, o halutense Icho Tolot e alguns mutantes foram lançados cerca de 110.000 anos no passado do planeta Pordypor. Acontece que os paramags já eram capazes de produzir antimatéria artificialmente. Para armazenamento seguro de antimatéria, os paramags desenvolveram os chamados campos de matéria nula. Os agregados para produzir esses campos de energia vitais foram enterrados nas profundezas da rocha sob a superfície, protegidos por trancas contra a intrusão dos melhores e mais capazes paratransdeformadores. Quando o lançamento de uma frota de espaçonaves de pesquisa deveria ser impedido, um grupo de cientistas disparou uma arma de antimatéria, fazendo com que os campos de matéria nula do depósito fossem atingidos e o planeta Pordypor explodiu. Um campo de matéria nula gerado pela espaçonave-meteorito em Asporc também permitiu que Dalaimoc Rorvic e Tatcher a Hainu interagissem com um ser do chamado “antimundo”, de um universo paralelo de antimatéria. A criatura apareceu aos dois como mulher e se apresentou como Ruuroa, a Savii.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR589, PR593.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Nullmateriefeld”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: