Afilia

A ausência de amor. Termo da medicina para designar um fenômeno que atua sobre a estrutura psíquica de todos os seres vivos, sendo que o efeito fica mais evidente no caso das pessoas.

Descrição


Assim foi designada a "doença" estranha, sob a qual os terranos sofreram durante a permanência no sistema estelar Medalhão, no Turbilhão Estelar, devido ao efeito Waringer. O neologismo é composto por elementos gregos: o “a”, com o sentido de negação, e o vocábulo “phile”, o amor. “Ausência de amor”, portanto, poderia ser uma tradução aproximada da palavra “afilia”. Mas não apenas o amor desapareceu – também sairam de cena todas as emoções que antes o ser humano era capaz de sentir: ódio, alegria, ciúme, tristeza, entusiasmo e todas as outras que ainda poderiam ser mencionadas.

A Causa


Como causa da afilia, é identificado um componente, ainda não observado em outros sóis, no espectro de radiação do sol Medalhão, o qual a Terra passou a orbitar após atravessar o transmissor de Arqui-Tritrans. É notável nesse fenômeno o fato de a afilia ser hereditária. No processo de hereditariedade, a afilia representa os traços genéticos dominantes: filhos de pais cuja emotividade foi suprimida em parte herdam os genes do genitor em que a supressão está mais avançada. Só há um pequeno consolo: os filhos dos imunes também são imunes.

Homo Sapientior: O perigoso na afilia é que ela parecia um fenômeno desejável aos que foram afetados por ela. Seus portadores acreditavam ter se despojado de todos os “sentimentalismos” inúteis e percebiam a si mesmos como um novo tipo de ser humano, um estágio superior na evolução, o “Homo sapientior”, ao qual foi concedida a faculdade de concentrar toda a energia de sua consciência em processos de pensamento puramente lógicos. Em geral, a afilia não foi pesquisada por aqueles que estavam sob a sua influência. Ela foi aceita e até mesmo louvada como um estado natural e desejável. Foram raros os não atingidos pela afilia. Além dos imunes naturais, um grupo bem definido de exceções era formado pelos portadores de ativador celular. Por isso, os mais estreitos colaboradores de Perry Rhodan foram banidos da Terra pelos afílicos no ano 3540. A pesquisa sobre a afilia existia apenas no círculo dos mais estreitos colaboradores de Perry Rhodan, mas faltava a esses pesquisadores, uma vez que foram banidos da Terra, justamente as principais fontes de informação, isto é, o exame daqueles que foram vitimados pela afilia.

Mudanças na Sociedade


A tutela afílica: Um dos problemas da afilia logo identificado e prontamente solucionado foi o definhamento do amor paterno. Os afílicos apenas cuidavam de seus filhos enquanto estes ainda eram fisicamente desamparados, seguindo o instinto primitivo da perpetuação da espécie. Assim que assumiam a postura ereta e conseguiam introduzir alimentos em sua boca com suas próprias forças, os cuidados paternos cessavam. Os pais já não se interessavam mais pelos filhos. Aliás, consideravam-nos uma carga e os expulsavam para longe. E esse processo piorava ainda mais considerando que os pais, mesmo entre si, já não possuíam um sentimento de solidariedade de um para com o outro. O homem passou a ser um ser individualista. A família deixou de existir. Não foi à toa que os detentores do poder da afilia consideravam a criação da nova geração como uma de suas tarefas primordiais. O Estado assumiu o desenvolvimento da criança, providenciou sua educação e sua manutenção até que aquele ser, homem ou mulher, finalmente estivesse em condições de sair para a vida e cuidar de si. Mas a Humanidade afílica deparou-se com um problema muito mais sério. Para o afílico, parecia extremamente lógico o fato de que uma pessoa idosa, assim que alcançasse um certo grau de debilidade, tornava-se inútil e, como apenas estava onerando a sociedade, precisava ser “tirada de circulação”. Também nos círculos governamentais a reflexão inicial seguiu esse caminho, e em todos os lugares da Terra erigiram-se as chamadas “casas do silêncio”. Entretanto, assim que as primeiras novidades sobre a utilização das casas do silêncio vazaram para o domínio público, uma crescente inquietação se espalhou, sobretudo entre os cidadãos mais velhos. Logo, no entanto, os governantes afílicos tiveram de desistir da utilização original das casas do silêncio, e tentaram solucionar o problema dos idosos de outra forma. Dessa forma, finalmente conseguiram abafar o medo e a inquietação.

A afilia e o crime: A perda das emoções humanas provocada pela afilia foi notada de forma especialmente forte na área das transgressões da lei e do cometimento de crimes. No começo da afilia ainda existia o antigo código de leis. Mas a afilia tinha roubado dos humanos todos os escrúpulos e, quando a lei não os ameaçava de morte, essa falta de escrúpulos fazia com que os humanos quebrassem a lei sempre que obtivessem vantagens nisso. Essa era uma tendência. A outra era notada na perseguição aos criminosos. O governo considerava sua missão cuidar da estabilidade da sociedade. Assim, ele precisava lutar contra a onda crescente de crimes, pois a sociedade ameaçava se romper sob o golpe da criminalidade em massa.

Robôs na afilia: Na base da alma de cada robô terrano repousavam as chamadas leis de Asimov. Quando a afilia tomou de assalto a Humanidade, ficou imediatamente claro que as leis de Asimov não se harmonizavam com a nova mentalidade dos seres humanos. Os robôs puramente mecânicos eram, do ponto de vista dos governantes afílicos, incuráveis. Não restou outra alternativa a não ser desativar esses robôs. Com os chamados robôs híbridos era diferente. Por caminhos parapsíquicos foi gravada uma nova lei no componente de consciência do robô híbrido, a “Lei de Bell”. Ao mesmo tempo, os governantes afílicos deram início à produção de novos robôs mecânicos, cuja unidade de comando era equipada com a “Lei de Bell”.

Política de informação: A partir do início da afilia, não houve mais imprensa livre. Todas as declarações e informações passaram a ser emitidas pelo governo. Além disso, uma grande parte dos livros foi proibida. A única emissora de mídia, que estava completamente sob o controle do governo e, portanto, fornecia mais propaganda do que informações reais, era a Terra-Visão.

Restrições de viagem e a vigilância: Durante a época da afilia, a Terra se transformou em um planeta de vigilância perfeita. Todos os movimentos dos afílicos eram registrados, mesmo em sua própria casa. Era gravado até quando usavam os dispositivos eletrônicos individuais no apartamento e por quê. Qualquer desvio da norma poderia significar verificações sensíveis. Os afílicos não podiam mais se mover livremente na Terra, e os convidados também precisavam obter autorizações. Normalmente, eles permaneciam onde trabalhavam. Viajar por motivos pessoais ou particulares imediatamente tornava-se suspeito. Se o trabalho estivesse associado a uma atividade de viagem, tinha-se que obter uma permissão de trânsito. A partir do ano 3580, o controle do movimento pessoal tornou-se abrangente com o estabelecimento do Sistema de Vigilância Pessoal (SVP) e a implantação forçada do codificador de identificação pessoal (CIP).

Viagens espaciais: As viagens espaciais e o contato com outros planetas ficaram em grande parte paralisadas. Inconscientemente, os afílicos sentiam-se como estranhos, razão pela qual temiam o inconveniente nas relações interplanetárias. Em vez disso, limitaram-se à exploração de planetas seguros e desabitados para chegar às matérias-primas.

O governo e suas instituições: Na ponta do governo, estava a Luz da Razão. Esse era, depois da expulsão de Perry Rhodan no ano 3540, Reginald Bell. Esse era um cargo eleito quase democraticamente, e, sem seu gabinete, também chamado de Comitê dos Dez, o chefe de governo não podia fazer nada. Outra instituição, na qual se baseava o controle da população, era o Departamento de Fiscalização, com seus numerosos ramos. Lá, eram implantados nas pessoas seus codificadores de identificação pessoal. Com a ajuda do CIP e dos robôs K-2 usados para monitoramento, alcançava-se um controle quase completo de todos os indivíduos.

Regulamentos legais conhecidos: Todas as audiências judiciais não eram mais realizadas por humanos, mas por máquinas, os chamados computadores da lei. Isso correspondia à necessidade específica dos afílicos por um procedimento legal lógico e sem emoção. Entre as poucas exceções, estavam as cortes militares da frota. O novo calendário, ajustado à duração do ano no sistema do sol Medalhão, substituiu o calendário gregoriano: o dia 4 de julho do ano 3540 tornou-se o dia 7 de maio do ano 93.

O Livro do Amor: Porém, nem toda a esperança foi em vão. Uma vez e outra, surgia um vislumbre de esperança, por exemplo, o Livro do Amor, do qual, a princípio, não se sabia quem realmente o escrevera. Esse livro permitia que os afílicos sentissem emoções reais por um curto período após a leitura, por isso foi duramente perseguido pelo regime afílico, e sua leitura, proibida. Para chegar até as pessoas, havia indivíduos especiais que memorizavam e ensinavam esse livro. Pouco antes da queda da Terra no Abismo, Reginald Bell descobriu que o Livro havia sido escrito por Nathan.

História


O início da insensibilidade

Os primeiros sinais de uma catástrofe próxima vieram no ano 3530, quando a crescente dureza das relações interpessoais se espalhou. A afilia, no entanto, ocorreu em uma extensão total cerca de 80 anos após a Terra ter entrado no sistema Medalhão, ou seja, por volta do ano 3540. A afilia logo levou ao encapsulamento completo das pessoas umas das outras. À medida que todas as relações interpessoais se esgotaram, ocorreu a falta de capacidade para trabalhar em conjunto em grupos e comunidades, pois isso é indispensável para um sistema estatal saudável a longo prazo. O chefe dos afílicos foi Reginald Bell, pois o seu ativador celular foi incapaz de protegê-lo. Um golpe liderado pelos Filhos da Razão, sob sua liderança, levou a uma tomada de poder pelos afílicos no ano 3540, quando apenas 40% da Humanidade era afílica, mas as previsões viram o limite de 50% ser ultrapassado em dois meses. Com isso, Perry Rhodan perdeu o poder. Reginald Bell, com o título de “Luz da Razão”, tornou-se o chefe do novo governo afílico. O governo afílico introduziu um novo calendário, baseado na rotação em torno de Medalhão e no comprimento da órbita ao redor de Medalhão como um ano. A tomada de poder pelos afílicos aconteceu em 4 de julho do ano 3540, ou em 7 de maio do ano 93, de acordo com o novo calendário.

A partida dos imunes com a espaçonave SOL

Os portadores de ativador celular, mutantes e outros, totalizando cerca de 1.000 imunes, foram capturados durante o golpe e deportados com a nova nave de longa distância SOL, que fora destinada para uma expedição para a Via Láctea. O portador de ativador celular Homer G. Adams, de acordo com o concepto Kershyll Vanne, conseguiu evitar a sua captura. No entanto, nada se sabe sobre suas ações concretas.

A OBV e a resistência

O portador de ativador celular Roi Danton, que permaneceu na Terra, fundou uma organização de resistência dos imunes chamada Organização Bom Vizinho (OBV). Sua área de retiro inicialmente foi a ilha de Bornéu. Lá, encurralados por uma operação em larga escala dos afílicos, eles recuaram para seu último esconderijo, uma base lemurense no Pacífico, situada na costa oeste da América Central, descoberta no ano 3454 por Alberto Pato e nomeada em sua homenagem de Porta Pato. Embora os afílicos tenham matado mais de 200 imunes, eles não conseguiram impedir a sua evacuação. As oito fortalezas de defesa que havia ali estavam bem preservadas, e a OBV descobriu 172 naves de grande porte na base. Com o couraçado lemurense chamado Pharao, uma parte dos membros da OBV foi evacuada para o Planeta Ovaron, onde a nave desembarcou em 29 de setembro do ano 3580. Havia lá, desde o ano 3540, um pequeno grupo de não afílicos, o qual foi evacuado como parte do projeto Lady Emotion.

A cura e a fuga de Reginald Bell

Em 17 de agosto do ano 3580, Reginald Bell finalmente foi libertado da influência da afilia por seu robô especial Breslauer. Esse fez com que um acessório secundário de sua positrônica explodisse e corrigisse, com essa manipulação estrutural e a onda de choque precisamente calculada em sua frequência vibratória, a frequência de impulsos do ativador celular perturbado. Só então Bell percebeu toda a extensão dessa enfermidade e a fuga dos companheiros. Com a ajuda de Breslauer, parcialmente destruído pela explosão, ele conseguiu fugir de Império Alfa e se juntou à OBV.

O governo sob o domínio de Trevor Casalle

O sucessor de Bell como a nova Luz da Razão foi Trevor Casalle, que prevaleceu, após uma luta de poder, sobre Schmenk Ructyn e Leifer Khantank, com o que o partido dos chamados estáveis (os que queriam ficar na Terra) contra os fugitivos (que queriam evacuar a Terra) manteve a supremacia. Casalle imediatamente começou com veemência a perseguição à OBV, embora essa até tivesse apoiado sua eleição. Com a Operação Lavagem Cerebral, a OBV foi atraída para Parkutta, onde uma armadilha havia sido preparada. De fato, foi possível se apossar de Sergio Percellar. Reginald Bell, a quem Casalle realmente procurava, conseguiu escapar. A partir de Sergio Percellar, os afílicos souberam as coordenadas de Porta Pato e atacaram a base em uma ofensiva em grande escala. Porém, o ataque foi descoberto com antecedência por Ranjit Singh, de modo que a maior parte dos imunes conseguiu fugir para o Planeta Ovaron através de um transmissor.

O fim da afilia e o Plano da Consumação

A afilia terminou em setembro do ano 3581, quando a Terra caiu no Abismo. Nessa ocasião, Aquilo absorveu em si mesmo quase todas os seres humanos presentes no planeta. Apenas algumas poucas pessoas permaneceram na Terra - muitas vezes devido a uma superdose da Pílula ou, mais raramente, a defeitos cerebrais -, e elas, logo depois fundaram, a Patrulha da Terra. Quando o sol Medalhão perdeu a sua radiação prejudicial ao cair no Abismo, o período da afilia terminou. Mais tarde, as pessoas absorvidas por Aquilo como parte do Plano da Consumação materializaram-se novamente como conceptos, cuja consciência fora coletada pelo superser. Em novembro do ano 3584, pouco depois do mundo artificial Éden II emergir de uma das metades do planeta Castelo de Goshmo, quase três bilhões de conceptos se materializaram na Terra. Eles tinham vindo celebrar a despedida. A maioria deles era de turistas inofensivos e despreocupados. Porém, entre eles, também estava Trevor Casalle, o último afílico sobrevivente, que surgiu em Terrânia como um concepto duplo. Ele morreu pouco depois de se tornar um não afílico. Inicialmente, Aquilo estabeleceu os conceptos em Éden II, depois que o mundo recém-criado foi equipado com todos os tipos de bens possíveis para sustentar uma civilização. Posteriormente, no ano 1218 NCG, os conceptos foram então estabelecidos no Arresum, em três ilhas de vida, nos planetas Nachtschatten II, Sainor e Camplat, para preencher o Arresum novamente com vida.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR700-PR705, PR718, PR719, PR732-PR735, PR748, PR749, PR757-PR759, PR834, PR838, PR839, PR1799.
  • Computer: PR700, PR702-PR704, PR732.
  • Enciclopédia: PR1805.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Aphilie”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2. Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan und Atlan Materiequelle (www.pr-materiequelle.de). Direitos das traduções: SSPG Editora, 2019.
Seção do Site: