Cappin

Povo humanoide e inteligente originário da galáxia NGC 4594, também conhecida como galáxia do Sombrero ou Gruelfin, situada a 36 milhões de anos-luz da Via Láctea.

Aparência


Os cappins são extremamente parecidos com os seres humanos, tendo cerca de 1,80 m de altura, cabelos negros e uma pele num tom ligeiramente dourado. As diferenças estão na estrutura dos órgãos internos. Sua expectativa de vida é de cerca de 200 anos.

Estrutura corporal e fisiologia

O tamanho e o arranjo dos órgãos, bem como a estrutura do cérebro, são ligeiramente diferentes daqueles dos terranos. Assim, o coração de um cappin não se encontra do lado esquerdo do peito, onde no terrano o pulmão se comprime por um lugar. O mesmo fica em média vinte centímetros mais para baixo, na parte esquerda superior da barriga. Além disso, é maior e de formato um pouco diferente. Isso também vale para os pulmões. Tanto o fígado como a hipófise cumprem, além das funções habituais nos terranos, tarefas adicionais, como a produção de substâncias ativas cujos efeitos sobre a química do corpo não puderam ser suficientemente esclarecidos até o ano 3437. O baço de um cappin, entretanto, reforma-se com a idade de cerca de quarenta anos, com o que é reduzido drasticamente o risco ameaçador de câncer, que acontece no ser humano. O pâncreas, ao contrário, tem o dobro do tamanho do que o dos terranos. A hipófise é decisivamente mais desenvolvida do que a dos terranos, e produz bem mais hormônios que a hipófise humana.

Compatibilidade genética

Os cappins são geneticamente compatíveis com os terranos. Assim, o vesaqueno Ingwaron é um neto do terrano dr. Ingwar Bredel, chefe de um departamento médico a bordo da nave Marco Polo. Além disso, de acordo com o relatório do almirante Moshaken, há 200.000 anos, após um ataque ganjásico devastador às instalações takeranas em Lotrom (Terra), ocorreu uma mistura entre os humanos primitivos e os ganjásicos, cujas espaçonaves não estavam mais em condições de voos de longa distância e, por isso, ficaram encalhadas em Lotrom.

  • Nota: As considerações de Ovaron de que os cappins tinham 1,1023 milhões de genes, enquanto aos primatas de Lotrom eram atribuídos 900 mil genes, provavelmente deve pertencer ao domínio da fábula.

Paracapacidade


Muitos cappins são chamados de pedotransferidores, eles possuem a paracapacidade da pedotransferência, através da qual conseguem abandonar temporariamente seus corpos e pela constante FRESS assumir o controle mental de outros seres vivos. As capacidades especiais raras nessa área incluem o pedo-autocrata instintivo.

Povos Conhecidos (Descendentes)


Os cappins dividem-se em muitos povos-ramos, como os ganjásicos, takeranos, farrogs, juclas, moritatores, nasons, olkonores, pekorenses e vesaquenos. Os vários outros descendentes de ganjásicos são povos primitivos degenerados, que incluem os chamiros (gayszatus), praipors, oldonenses e lofsooguenses.

Cappins Conhecidos


  • Barakas, Bogonta, Borathron, Carscin, Cnulp, Ditoro, Epidron, Fanora, Hatelmonh, Hrilda, Ilivona, Jangvharschon, Kathainan, Lecufe, Marays, Merkato, Paleitan, Perkinor, Rantara, Ratschat, Scholscholk, Trumakor Avak, Vathainan.

Sociedade


Clãs de famílias

A sociedade dos cappins é fortemente dominada pelos laços de famílias, os chamados clãs. Pertencendo ao clã certo, em determinadas circunstâncias, determina as chances de promoção de um cappin. Os clãs conhecidos dos takeranos são o clã Valos e o clã Kamos, com os ganjásicos havia o rico clã Nandor. Outro clã é o clã Toschtoner. Um grupo étnico dos cappins recebeu o nome do fato de que numerosos clãs estavam unidos: juclas é uma abreviatura de “jovens clãs”. Por muito tempo, o clã Murra dominou o grupo de frotas dos juclas.

Idioma

A linguagem dos cappins era um pouco parecida com o “tefroda primitivo”. Sua variante moderna, o novo-Gruelfin, desenvolveu-se no século XXXV.

Cultura

Os cappins gostam de jogar, independentemente da afiliação de clã, o jogo de tabuleiro occura.

História


De acordo com suas próprias tradições, os cappins originalmente imigraram de uma pátria primitiva distante desconhecida sob Wuthana, o primeiro Ganjo do Reino Ganjásico. Segundo informações da Mãe Primitiva, os cappins eram o único povo em Gruelfin a dominar as viagens espaciais interestelares por volta do ano 204.000 AC. Assim, o povo dos cappins dominou a galáxia. Havia regulamentações que deveriam garantir essa supremacia. Assim, era proibido apoiar culturas primitivas não cappin, de modo que elas não aprendessem o voo espacial mais cedo. Somente alguns milênios mais tarde, os dois povos dos ganjásicos e dos takeranos se separaram do ramo principal do povo cappin. Os ganjásicos eram o povo predominante até cerca de 200.000 anos atrás. Mas então essa supremacia foi assumida pelos takeranos em uma guerra fratricida. Há cerca de 200.000 anos, um grupo de cappins (takeranos) descobriu a Terra e realizou experiências genéticas com os humanos primitivos. Esses cappins interessaram-se pela Humanidade primitiva devido ao fato de as duas raças serem bastante parecidas biologicamente, o que fazia com que os seres humanos daquela época fossem bastante compatíveis com o processo da pedotransferência. Isso acabou acelerando a evolução da raça humana, o que fez com que, cerca de 150.000 anos depois, surgissem os lemurenses, os ancestrais dos terranos.

Ano 3580

No ano 3580, Atlan enviou um pedido de ajuda do NIE aos cappins solicitando assistência na luta contra o Concílio ou Hetos dos Sete. Por essa época, estava ocorrendo uma luta feroz pelo posto de Ganjo, porque Ovaron estava em coma. Além disso, naquela época, a exploração espacial era desaprovada pelos cappins. Os lacres de Ovaron tinham limitado as viagens espaciais, especialmente pelo sucessor de Ovaron, Skorvamon. Os astronautas eram chamados desdenhosamente de luzes durante esse período. O Ganjorato exercia pressão sobre os cidadãos do império, assim eles levavam uma vida ligada ao planeta. Para tanto, foram criados os chamados escritórios de integração - autoridades que promovem a vida sedentária. O conhecimento técnico havia diminuído drasticamente durante esse período, do qual se beneficiou, por exemplo, o culto de Lupicran, que ganhou respeito com truques baratos.

 

 


 

Créditos: 

Fontes


  • PR421, PR422, PR423, PR437, PR438, PR439, PR440, PR441, PR442, PR443, PR448, PR450, PR451, PR455, PR490, PR494, PR496, PR722, PR738.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Cappins”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: