Olho paratrans

Dispositivo tecnológico, ponto de acesso ao metal TEP. Um olho paratrans serve aos paramags para mergulhar e abandonar os depósitos de metal TEP usando a capacidade especial da paratransdeformação. Os paramags, que se desenvolveram no planeta Pordypor contendo metal TEP, podem viver dentro do metal TEP e transitar ao longo dos veios dessa substância.

História


Um olho paratrans foi descoberto pela primeira vez pela Antiga Mutante Betty Toufry no meteorito de Asporc convertido em uma espaçonave de longo alcance. Ela e os outros sete Antigos Mutantes exploraram seu interior após a partida do meteorito do planeta Asporc. Nesse momento, os Antigos Mutantes ainda estavam usando os corpos de asporcos, que eles tinham assumido mentalmente. Dentro do meteorito, eles encontraram pela primeira vez os chamados paramags lesionados temporais, que pertenciam à tripulação original do meteorito e permaneceram escondidos desde a queda da espaçonave de longo alcance em Asporc. Betty Toufry descreveu o olho paratrans, que media três metros e meio de diâmetro, como um “olho TEP”, pois se parecia com um olho gigantesco por razão de sua superfície abaulada, curvada para fora e suavemente polida. Ela também testemunhou pela primeira vez como um paramag se materializou do olho paratrans e assumiu sua forma física normal, apenas para reentrar no olho paratrans um momento depois. Posteriormente, no sistema estelar natal dos paramags, ficou claro que os olhos paratrans eram os locais preferidos para o uso da rede de metal TEP, e esses olhos foram encontrados em todo o sistema de destroços. Betty Toufry também descreveu os olhos paratrans como “eclusas de entrada polarizada”.

  • Especulação: Originalmente, os paramags devem ter sido capazes de mergulhar no metal TEP em locais naturais e adequados na superfície planetária de Pordypor, mesmo antes de sua ascensão técnica. Somente mais tarde, através da metalurgia, tornou-se possível para os paramags criar os olhos paratrans especiais, o que obviamente tornou muito mais fácil para eles imergirem e deixarem os veios TEP.

 

Créditos: 

Fontes


  • PR591, PR594, PR689, PR690.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Paratransauge”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: 
Glossarios Veiculados: