Orbitante (Povo)

Povo formado por indivíduos artificiais, seres vivos que foram criados pela Instalação de Armadan de Harpoon a partir do material genético dos últimos flibusteiros para proteger a Via Láctea das Hordas de Garbesch.

Descrição Física e Personalidade


A Produção Industrial dos Orbitantes

O material de partida dos orbitantes produzidos artificialmente eram os chamados ovos neutros, presumivelmente armazenados pela Instalação desde a Grande Guerra Galáctica, em gigantescas instalações de resfriamento ou produzidos no curso da crise dos orbitantes. Somente com a decisão da Instalação de classificar os povos lemurenses da Via Láctea como garbeschianos e produzir um orbitante segundo esse modelo, foram feitos os ajustes que resultaram na aparência externa de todos os orbitantes produzidos no futuro. Assim, todos os orbitantes, cujo número total era de muitos milhões, puderam ser reduzidos a apenas sete modelos básicos. Após a produção de um corpo de orbitante, juntava-se também a classificação artificial de características específicas de caráter com a ajuda das máquinas de gravação. Essas características determinavam a função que um orbitante deveria ter na sociedade. No entanto, antes do tratamento com a máquina de gravação, os orbitantes não eram “folhas em branco”. Em vez disso, uma análise genética já permitia que os orbitantes individuais potencialmente se prestassem como forças de liderança. Para a atribuição de uma certa personalidade por meio das máquinas de gravação, seguiu-se o ensino do conhecimento necessário para os orbitantes em geral e a respectiva função em particular. Isso durava apenas algumas horas; embora os detalhes não sejam conhecidos, esse processo provavelmente é comparável ao psicotreinamento.

Sexualidade

O fato de que, além dos modelos básicos masculinos, com Kayna Schatten, também havia um modelo de orbitante feminino, não tinha nenhum significado. Os orbitantes masculinos não foram atraídos pelos orbitantes do modelo Schatten. Os orbitantes eram seres assexuados. Essa configuração dos orbitantes também correspondia à sua capacidade de se reproduzir. Embora eles correspondessem basicamente ao modelo biológico dos flibusteiros, eles não eram capazes de se reproduzir. Eles também estavam cientes disso, por exemplo, quando Shakan desligou a Instalação em Martappon, levando-os a pensar na extinção dos orbitantes.

Expectativa de Vida

Detalhes exatos sobre a expectativa de vida dos orbitantes não existem.

Personalidade

Embora basicamente todos os orbitantes fossem impulsionados pela motivação de expulsar os garbeschianos da Galáxia, eles ainda mostravam diferenças significativas em sua personalidade. A mesma aparência não sugeria um caráter similar. Em nenhum caso houve qualquer correlação entre os orbitantes de um modelo particular e os flibusteiros subjacentes. Uma peculiaridade - tanto física quanto mental - representava o aurigeiro produzido geneticamente falho.

Orbitantes Conhecidos


  • Akenjin, Algap, Alisu Bragg, Archetral, Aritha (aurigeiro), Bredner Flagulor, Bronf Teusso, Charlie (orbitante do refego), Derscht, Engnal, Epinas Merlon, Ganmon, Gorfain, Greer Venn, Grenor Targus, Grin Demmid, Icham, Ingor Wells, Kirsitz (aurigeiro), Lakon, Lyrta Rufur, Mariveyn, Nisortan, Olkyra, Quiryleinen, Ror Perpulan, Sliver Niktasch, Smarger, Stragor Lond, Vataal, Zarcher.

Funções


  • Gerente de Treinamento: O Gerente de Treinamento supervisionava o treinamento dos orbitantes recém-produzidos; Diretor do Trabalho: tinha a visão geral dos processos de trabalho de um planeta; Gerente do Trabalho de Coordenação e Análise: subordinado a um Diretor do Trabalho; Gerente do Trabalho de Tecnologia Astronáutica: subordinado a um Diretor do Trabalho; Gerente do Trabalho de Fornecimento de Tripulações: subordinado a um Diretor do Trabalho; Gerente do Trabalho de Integração de Frotas: subordinado a um Diretor do Trabalho; Gerente do Trabalho de Preparação Técnica: subordinado a um Diretor do Trabalho.

Frota


A característica dos orbitantes eram suas espaçonaves-cunha. Toda a frota foi subdividida em frotas individuais, que operavam em grande parte independentemente umas das outras. A designação de uma espaçonave individual continha sempre dois componentes, o segundo dos quais identificava a frota. Assim, por exemplo, a Barder-Nel era uma espaçonave da frota Nel.

As Frotas dos Orbitantes Conhecidas

  • Frota Bal, frota Cer, frota Gir, frota Lur, frota Nel, frota Zel.

Naves Conhecidas

  • Barder-Nel, Betrup-Bal, Hemal-Cer, Kurel-Bal, Narket-Bal, Selou-Bal, Sirkon-Bal, Tallon-Bal, Torkan-Zel.

História


Após o final da Grande Guerra Galáctica, há cerca de 1,2 milhão de anos, Armadan de Harpoon, um cavaleiro das profundezas, construiu a Instalação na Via Láctea, cuja função primordial era a produção em massa de orbitantes para o caso do ressurgimento das Hordas de Garbesch, que usariam as espaçonaves armazenadas para expulsar os garbeschianos. No ano 3587, a Instalação foi despertada do sono de um milhão de anos por um hiperimpulso característico das Hordas de Garbesch. A verdadeira causa do hiperimpulso, no entanto, foram os tremores espaciais. A partir desse impulso, a Instalação despachou robôs, que deveriam capturar alguns exemplares dos garbeschianos. Esses deveriam ser investigados e subsequentemente reproduzidos, pois Armadan de Harpoon estava convencido de que a melhor forma de combater os garbeschianos era com suas próprias armas. No entanto, os robôs trouxeram de volta os sete últimos flibusteiros como pessoas de teste, que foram confundidos com garbeschianos pela Instalação por causa de sua agressividade. Logo a seguir, os flibusteiros foram reproduzidos milhões de vezes a partir de células primordiais não fertilizadas. Em seguida, a Via Láctea foi inundada por milhões de orbitantes na forma dos sete flibusteiros, para salvar os povos residentes da ameaça (imaginária) das Hordas de Garbesch. Como os últimos flibusteiros eram humanoides, todos os povos humanoides passaram a ser considerados garbeschianos para os orbitantes. Um dos primeiros planetas a serem ocupados (em 28 de junho do ano 3587) foi Olimpo. Para eles, Olimpo foi um teste para ações adicionais contra seus supostos inimigos. Então, um pouco mais tarde seguiu Ferrol e outros planetas, mas surpreendentemente, a Terra inicialmente permaneceu despercebida. Até o mês de agosto, 22 sistemas foram ocupados e sistematicamente isolados. Em 23 de agosto, a frota Nel também voou para o Sistema Solar. Os terranos finalmente receberam um ultimato para deixar a Via Láctea até o dia 20 de setembro. Isso, por conseguinte, não era possível porque não havia espaçonaves suficientes para uma evacuação completa, porém, os orbitantes se recusaram a qualquer tipo de negociação. Mesmo o Vario-500, que, entretanto, encontrou a Instalação, não conseguiu convencer os orbitantes de que estavam errados. Somente a sugestão de Jen Salik ao dizer para os orbitantes que agora havia dois grupos de garbeschianos, levou ao sucesso. Em uma manobra de engano em grande escala no qual a fortaleza de vigilância Escaravelho foi destruída sob a observação dos orbitantes, ficou provado que os agressivos haviam se separado dos garbeschianos amantes da paz. Quiryleinen estendeu o ultimato em um mês.


 

Créditos: 

Fontes


  • PR936, PR937, PR938, PR949, PR950, PR951, PR952, PR953, PR954, PR961, PR962, PR963, PR971, PR972, PR973, PR974.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Orbiter (Volk)”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2.
Seção do Site: 
Glossarios Veiculados: